Pobres mortais merecem calçadas privilegiadas?

Pobres mortais merecem calçadas privilegiadas?

Nesse fim de semana, um texto do colunista Tiago Cordeiro nos mostrou que já somos “pobres mortais sem posições decisórias”. Crescemos só em tamanho, vivemos apenas das nossas infâncias. No meu bairro, fazíamos tudo com Forças-Tarefas, que agora “NÃO EXISTEM MAIS”! Elas nos permitiam formar equipes multidisciplinares! Não éramos do Ministério Público, Polícia ou Receita Federal, mas atuávamos juntos para empinar pipas, caçar passarinhos ou correr com carrinhos de rolimã. Se invadíamos o quintal dos vizinhos para roubar frutas, sofríamos com a “condução coercitiva” dos nossos Pais! Eles, de chinelo na mão, nos levavam a “depor em hora estabelecida”, nada podíamos “Combinar antes ou Mentir”! Sempre andávamos de bicicleta pelo bairro e se éramos roubados, os ladrões acabavam presos! Hoje, a tal “Prisão imediata já não existe”, valem todos os “Recursos Judiciais”. Até o “CAIXA 2” da Sinuca e do Jogo do Bicho, no Bar da Esquina, tinha que ser explicado na Justiça!! NADA DISSO MAIS EXISTE! Em plena pandemia, somos apenas “Cidadãos sem Foro Privilegiado”, loucos para sentar na calçada e jogar conversa fora. Mas Isso TAMBÉM NÃO EXISTE MAIS!

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.