DENÚNCIA E ESCLARECIMENTO: Moradores jogam lixo na parte externa de hospital

DENÚNCIA E ESCLARECIMENTO: Moradores jogam lixo na parte externa de hospital

Luana Dias

Primeiro, vizinhos do Hospital Anna Fiorillo Menarim fizeram denúncia ao Página Um News, relatando que havia lixo acumulado na área externa da unidade, hoje administrada pela Cruz Vermelha. De acordo com as informações repassadas pelos moradores, que pediram para não ter o nome identificado, tanto lixo doméstico, como madeiras e até bichos mortos estariam sendo depositados ao lado de fora do hospital, e permaneciam no local por vários dias. Os denunciantes também afirmaram que o lixo vinha sendo responsável pelo aparecimento de insetos e roedores na região, e que esses animais estavam entrando nas casas, que ficam nas proximidades.

A reportagem esteve no local para conferir a situação denunciada, assim como, ouviu a diretora da unidade hospitalar, Eliana Reinaldo. Segundo relatou ela, os lixos, citados pelas fontes ouvidas pelo jornal, são deixados no local justamente por pessoas que também moram próximos ao hospital. “Tem um vizinho, que mora aqui pertinho, e que já foi visto jogando lixo no hospital mais de uma vez. Essa situação já tem um tempo, e infelizmente, ainda se repete”, destacou.

Eliana Reinaldo, diretora do hospital Anna Fiorillo Menarim

Eliana também contou à reportagem que profissionais da unidade já conversaram com o vizinho. Ele teria afirmando que não iria repetir a ação, porém, não teria parado de descartar lixos, restos de comida e até uma sacola com animal morto no terreno do hospital.

Além desse homem, já identificado pela equipe, um caminhoneiro também teria sido visto descartando lixo no local, e, alguns moradores também têm o hábito de deixar restos de comida nas calçadas externas da unidade para alimentar cachorros que vivem nas ruas. Porém, como nem sempre os cães consomem os alimentos, os restos acabam, segundo Eliana, contribuindo com o aparecimento de ratos e de baratas.

Lenha

Na área externa do hospital existe lenha armazenada. De acordo com os responsáveis pela denúncia, isso também estaria servindo de abrigo para roedores. Eliana Reinaldo explicou que as madeiras, incluindo palets que foram doados para a unidade, ficam no local para serem utilizadas na caldeira, e que onde estão, não há outros materiais. “Sabemos que a lenha armazenada corretamente não junta ratos e baratas, além disso, não temos outra saída, a não ser deixar a lenha perto da caldeira, onde é utilizada”, ressaltou.

De acordo com a diretora, todo o lixo produzido pela unidade, orgânico, hospitalar e reciclável, permanece separado e em local adequado – uma espécie de edícula. O material aguarda a coleta fechado no local.

Denúncia na Vigilância Sanitária

Eliana relatou que a situação (de descarte incorreto do lixo feito por terceiros) já gerou inclusive denúncia na Vigilância Sanitária do Município, e que os agentes já estiveram no local, e não constataram negligência por parte da administração do hospital. Também não teriam encontrado irregularidade na forma de armazenamento das madeiras.

A reportagem não conseguiu contato com a Vigilância Sanitária, para que os agentes pudessem comentar a situação.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.