REVOLTA: Reajuste no preço dos combustíveis assusta motoristas de aplicativos

REVOLTA: Reajuste no preço dos combustíveis assusta motoristas de aplicativos

Emerson Teixeira
Especial P1 News

Carambeí – Motoristas de aplicativo estão preocupados com o reajuste anunciado pela Petrobras na quinta-feira (10). Segundo a estatal, os reajustes de preços de venda de gasolina e diesel para as distribuidoras terão validade a partir desta hoje (11). O preço médio de venda da gasolina da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 3,25 para R$ 3,86 por litro.

Um posto de combustíveis da cidade, localizado na Avenida das Flores, já está vendendo o litro da gasolina a R$ 6,99. Já na cidade de Ponta Grossa, em um posto de combustíveis na entrada do município o por preço do litro está R$ 7,39 e o litro do R$ 6,99.

O motorista Anderson Szabo conta que o clima entre a categoria está bem pesado, ele frisa que todo reajuste afeta diretamente o trabalho deles, “tem motorista de Uber que já está pensando em desistir e tentar arrumar outro tipo de trabalho, porque o carro não é apenas combustível, têm vários tipos de gastos. Nós temos que trocar o óleo do motor todo mês, tem a manutenção preventiva que é necessária fazer porque transportamos passageiros, é a segurança deles que está em jogo. Está bem preocupante a situação, já não estamos conseguindo honrar com nossas contas em dia, porque temos que trabalhar bem mais para tentar ganhar a mesma coisa que ganhávamos quando a gasolina estava mais barata”, descreve.

Situação semelhante relata o proprietário da empresa LZR, Luis Antonio Pedroso Moreira, que possui nove carros rodando e relata que está difícil para manter a atividade, “muito caro o combustível, muitos não entendem, acham que o carro é só colocar a gasolina e andar, o carro tem várias despesas, preciso pagar seguro, motorista, documentação em dia. É muito difícil de manter um carro em ordem para trabalhar”, aponta. “Infelizmente se não repassarmos o aumento no preço da tarifa não conseguiremos manter o carro trabalhando, além do combustível o preço da manutenção também está cara”, avalia Luis.

Outro que demonstra preocupação com as altas nos preços dos combustíveis é Edson dos Santos, proprietário da EDS Transportes. “Estamos discutindo desde ontem [quinta-feira] até agora, está muito difícil, fui a Ponta Grossa, lá está R$ 7,89 o preço do litro da gasolina, existe a previsão de subir mais ainda, não vamos conseguir manter os preços atuais das corridas, não conseguimos trabalhar desse jeito e, realmente, nós teremos que ajustar os valores. Estamos vendo como vamos fazer, desde ontem, não consegui nem dormir a noite com essa preocupação”, desabafa.

Edson explica que o lucro médio por corrida é de R$ 3, e com esse reajuste nem esse valor vai sobrar pois “o preço do combustível está absurdo, não tem como continuar trabalhando, é preferível parar do que ganhar menos e não tem como repassar todo o reajuste para o cliente”, lamenta. Ele explica que possui seis carros rodando e participa de um grupo de motoristas que reúne 17 profissionais que estão discutindo quais alternativas deverão tomar para amenizar a crise e chegar numa solução que seja boa tanto para os profissionais quanto para os passageiros. “Se não a pessoa vai preferir andar a pé, e em último caso é que vai chamar uma corrida, e nós não vamos conseguir nos manter, porque as contas chegam e se não rodar não fatura, mas não chegamos num acordo ainda”, desabafou.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.