Primeiro trimestre da Evonik supera expectativas: confirmada a projeção de resultados

Primeiro trimestre da Evonik supera expectativas: confirmada a projeção de resultados

*Números preliminares validados: aumento de 28% no EBITDA ajustado, atingindo 522 milhões de euros no primeiro trimestre

Da Assessoria

Evonik excedeu as previsões do mercado de capitais no início de 2024. Os resultados do primeiro trimestre de 2024 da empresa de especialidades químicas confirmaram os dados preliminares divulgados no dia 16 de abril. O EBITDA ajustado aumentou 28% em comparação com o mesmo período do ano anterior, totalizando 522 milhões de euros. Houve também um incremento significativo do fluxo de caixa livre: 127 milhões de euros, uma elevação expressiva do patamar registrado no primeiro trimestre de 2023 (21 milhões de euros).

“Muitos de nossos clientes estão voltando a comprar”, constata Christian Kullmann, CEO da Evonik. “No entanto, devido a restrições que persistem em algumas indústrias e mercados, ainda não vislumbramos uma expansão generalizada de uma retomada.”

Os volumes de vendas avançaram 4% no primeiro trimestre. Observou-se, por outro lado, uma redução de 5% nos preços, parcialmente impulsionada pelo repasse do menor custos das matérias-primas. As receitas totalizaram 3,80 bilhões de euros, uma redução de 5%, enquanto o lucro líquido consolidado ficou em 156 milhões de euros, diante dos 47 milhões de euros do primeiro trimestre de 2023. A margem EBITDA ajustada registrou aumento de 3,6 pontos percentuais, chegando a 13,8%.

“A desempenho positivo da margem EBITDA sinaliza que estamos no caminho certo”, afirma a CFO, Maike Schuh. “Nossas medidas para redução de custos estão produzindo efeitos cada vez maiores, o que é particularmente importante, considerando as novas quedas nos preços. Ainda há um longo caminho a percorrer até alcançarmos nossas metas financeiras. Precisamos nos esforçar para cada pequena melhoria.”

A Evonik mantém as metas para o ano inteiro e projeta um EBITDA ajustado na faixa de 1,7 bilhão a 2,0 bilhões de euros. As vendas deverão permanecer entre 15 bilhões e 17 bilhões de euros. A Evonik prevê uma taxa de conversão de caixa em torno de 40% e um ROCE significativamente superior ao do ano anterior. Para o segundo trimestre de 2024, a Evonik espera um EBITDA ajustado praticamente no mesmo patamar do primeiro trimestre.

O programa de eficiência “Evonik Tailor Made” trará economias iniciais até o final do ano. Foram concluídas as negociações sobre os principais pontos relacionados a demissões socialmente responsáveis. Sua implementação se encontra em andamento por meio de consulta alinhada com os representantes dos colaboradores. Até o terceiro trimestre, serão finalizados os detalhes sobre a reorganização da Evonik. Em seguida, o programa entrará em vigor considerando os direitos de participação relevantes dos representantes dos colaboradores. Está também em progresso a anunciada divisão da área de Tecnologia e Infraestrutura em duas unidades. 

Desenvolvimento das divisões químicas

Specialty Additives: A divisão de aditivos especiais registrou maiores volumes de vendas impulsionados pelo reabastecimento dos baixos níveis de estoques dos clientes. Apesar de terem atingido 908 milhões de euros, as vendas do primeiro trimestre de 2024 sofreram leve queda na comparação anual. Essa redução se deve a menores preços de venda, motivados principalmente pelo repasse dos custos mais baixos de matérias primas e dos efeitos cambiais levemente desfavoráveis. Os produtos para os setores de construção e revestimentos registraram aumento significativo de vendas decorrente no crescimento do volume. Aditivos para espumas de poliuretano e bens de consumo duráveis ​​viram seus volumes crescerem, mas os preços em queda mantiveram as vendas praticamente estáveis. Os aditivos para o setor automotivo registraram maior demanda, resultando em vendas próximas ao nível do ano anterior. O EBITDA ajustado cresceu 10%, atingindo 185 milhões de euros, impulsionado por uma maior utilização das fábricas. A margem de EBITDA ajustada avançou de 18,2% para 20,4%.

Nutrition & Care: Impulsionadas por maior demanda e preços de venda em leve ascensão, as vendas do primeiro trimestre registraram um aumento de 2%, alcançando 900 milhões de euros. Os efeitos cambiais atenuaram essa tendência positiva. O negócio de aminoácidos essenciais (Animal Nutrition) foi favorecido pelo aumento dos volumes de vendas e preços ligeiramente mais elevados. As vendas apresentaram um avanço significativo. Em Health & Care, os produtos Care Solutions apresentaram tendência positiva de aumento de volume. As vendas da Health & Care, no entanto, permaneceram predominantemente abaixo do patamar do ano anterior, impactadas por preços de venda ligeiramente inferiores. Motivado por maiores volumes, custos variáveis mais baixos e economias provenientes da otimização do modelo de negócio na área de Animal Nutrition, o EBITDA ajustado da divisão disparou 84%, alcançando 140 milhões de euros. A margem de EBITDA ajustada avançou de 8,6 % para 15,6 %.

Smart Materials: A divisão Smart Materials apresentou um declínio de 8% nas vendas no primeiro trimestre de 2024, registrando 1,09 bilhão de euros. Os volumes se mantiveram praticamente estáveis, porém foi repassada a redução nos custos de matéria-prima e energia. A demanda por produtos inorgânicos continuou registrar queda. As vendas de polímeros diminuíram devido aos efeitos de preço e câmbio. Ainda assim, com 159 milhões de euros, o EBITDA ajustado foi apenas ligeiramente inferior ao registrado no ano anterior. A venda de uma licença para o processo de produção de peróxido de hidrogênio gerou um impacto positivo. A margem EBITDA ajustada aumentou de 13,8% para 14,5%.

Performance Materials: Na divisão de Performance Materials, as vendas diminuíram 9%, chegando a 646 milhões de euros. Os efeitos positivos do maior volume foram significativamente impactados pelos preços mais baixos e efeitos cambiais negativos. O resultado do ano anterior também considerou as vendas provenientes da unidade de Luelsdorf, que foi vendida em 30 de junho de 2023. Apesar dos preços mais baixos, os produtos da cadeia C4 (Intermediários de Performance) impulsionaram as vendas em decorrência da maior demanda de volume. Os superabsorventes se beneficiaram dos maiores volumes de vendas. O EBITDA ajustado aumentou em 16%, chegando a 43 milhões de euros, devido principalmente aos volumes mais elevados. A margem de EBITDA ajustada cresceu de 5,2 % para 6,7 %.

Redação Página 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.
× Fale com o P1 News!