ESPECIALISTA EXPLICA: O que o conflito Rússia x Ucrânia pode influenciar na economia brasileira?

ESPECIALISTA EXPLICA: O que o conflito Rússia x Ucrânia pode influenciar na economia brasileira?

Cleucimara Santiago
Especial Página Um News

O conflito da invasão militar da Rússia à Ucrânia preocupa o mundo e pode pesar no bolso do consumidor brasileiro com desvalorização do real e alta dos preços dos combustíveis e até do pãozinho francês do café da manhã. O momento é delicado, pois o valor da gasolina que chega às refinarias brasileiras, é composto por fatores fundamentais: o dólar que volta a subir em caso de um aumento da crise e a cotação do barril do petróleo. A Rússia é um dos maiores produtores de petróleo do mundo, com capacidade para produzir mais de 10 milhões de barris da matéria-prima por dia.Quanto ao pãozinho e produtos derivados de trigo, a Rússia e a Ucrânia representam cerca de 30% do mercado exportador do grão, sendo respectivamente, o primeiro e o sexto maiores produtores mundiais. Mesmo, o Brasil importando 85% do trigo da Argentina, poderemos enfrentar uma alta de preços.

A reportagem do Página Um News conversou com Gian Montebro, especialista no mercado financeiro e assessor de investimentos na iHUB, escritório de agentes autônomos de investimentos especializado em renda variável, com a missão de auxiliar a investir de maneira segura. Confira as respostas do especialista:

Página Um News – A invasão da Rússia à Ucrânia pode afetar o mercado consumidor com a alta no preço de alimentos, combustível, cesta básica ou outros itens?

Gian Montebro – Tudo vai depender da resposta da Europa, Otan e os líderes mundiais. Nesta quinta-feira (24) cedo, a Gasprom, estatal russa que fornece gás natural para Europa, declarou que por enquanto ainda segue fornecendo o gás. Vale ressaltar que a Índia e a China por hora declararam que seguem neutras, afirmando que a Rússia é independente e toma suas próprias decisões. Porém, é evidente que se a situação se agravar, no caso de uma eventual resposta por parte da Otan, pode gerar um estresse a ponto de ter uma guerra e impactar diretamente em uma alta nos preços das commodities, como petróleo por exemplo.

P1 – A bolsa brasileira pode se beneficiar em caso de um conflito militar no leste europeu? A invasão da Rússia a Ucrânia pode fazer os investidores internacionais apostarem mais na principal economia da América do Sul?
Montebro – Mais uma vez, vai depender muito de qual será o tamanho do estresse. Em um cenário como o desta quinta-feira (24), podemos sim ser beneficiados. Porém, se a situação se agravar, os maiores investidores vão sair de mercados emergentes e migrar para o mercado mais seguro do mundo que são as treasuries americanas. Historicamente, em momentos de forte estresse global, como guerras, é para lá que vai o dinheiro da grande maioria dos investidores. Tudo vai depender da durabilidade do confronto e se a Otan vai responder.

P1 – Qual a nova projeção para a moeda americana em 2022? Dólar terá uma tendência de alta?
Montebro – A busca em casos assim sempre foi por proteção, logo a tendência é de alta para a moeda americana. Se essa alta vai ser muito forte ou não, vai depender da intensidade dos ataques, se os ataques vão continuar, assim como o que vão fazer os países envolvidos de todos os lados.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.