Acidentes de trânsito em Castro cresce 13,90%, em 2021

Acidentes de trânsito em Castro cresce 13,90%, em 2021

Matheus de Lara

A pedido da reportagem do Página Um News, o Corpo de Bombeiros do 2º GB de Castro divulgou o balanço das ocorrências atendidas ao longo de 2021, ou seja, no período de 1º de janeiro até 28 de dezembro. Segundo o levantamento, três ocorrências (naturezas no campo dos bombeiros) tiveram alta em relação ao ano de 2020. ‘Acidentes de trânsito’ que engloba atropelamento, capotamento, colisão, queda de veículo, saída de pista, e tombamento, foi o que registrou mais alta, com crescimento de 13,90%, ou seja, em 2021 foram registradas 254 ocorrências, e no mesmo período do ano passado, 223.

Para o comandante da unidade, tenente Paulo Marcelo Ribas Ribeiro, não é possível afirmar com precisão qual o real motivo do aumento ou diminuição das ocorrências. Mas, em relação aos acidentes de trânsito, destaca que “houve um pequeno aumento esse ano e sugere-se que devido a retomada da economia, das atividades que no ano de 2020 passaram a deixar de ser realizadas […]. Consequentemente, o trânsito voltou a números mais parecidos com os de épocas anteriores a pandemia”.

Em segundo lugar aparece em alta a ocorrência de ‘buscas e salvamentos’ que totalizou 68 atendimentos que, se comparada a 2020 que somou 47, houve crescimento de 44,68%. Nesse quesito estão busca de pessoas e capturas de animais, corte ou poda de árvore, desabamento, queda de árvore, etc. Quanto as subnaturezas apontadas pelo 2º GB, que fazem parte das buscas, em 2021 foram atendidas 13 casos de resgate ou tentativas de suicídio, enquanto que em 2020 foram quatro. Já o resgate de cadáver foram três em 2021 e um no período anterior.

Já a terceira ocorrência que mais cresceu nos boletins dos bombeiros, aparece os incêndios, sendo a de edificação e de vegetação. O incêndio em edificação que corresponde a residências, indústrias, estabelecimentos comerciais, em 2021 aparece com 36 atendimentos, enquanto que em 2020 foram 28, ou seja, apresentou alta de 28,57%. Os incêndios em vegetação aparece em seguida com maior frequência. Em 2021 foram registrados 50 focos, enquanto que em 2020 eram 40 ocorrências.

Ribeiro descreve que os incêndios em vegetação sofreram bastante devido à seca prolongada. “Em virtude do inverno mais rigoroso, a vegetação foi mais afetada, principalmente com a falta de chuvas. Com isso, foram fatores pertinentes, além da geada que acaba secando mais a vegetação o que facilita os incêndios”.

Outras ocorrências

As demais apresentaram quedas, como a do incêndio em veículos. Em 2021 apareceu com 19 atendimentos, e em 2020 apontou 22, ou seja, caiu 6,36%. Em relação aos Atendimento Pré-Hospitalar (APH), que corresponde ao acidente com máquina, agressão, ataque animal, choque térmico, enforcamento, ferimento por arma branca, de fogo e objeto cortante, lesão física, obstrução de vias áreas, queda de objetos sobre pessoa, queda de pessoa de mesmo nível e de plano elevado, representaram diminuição de 3,45%. De 257 registros em 2021, foram registrados 275 ao longo de 2020.

Atendimento Comunitário, onde se enquadram os serviços não emergências de risco, lavagem de pista, palestras, entre outras subnaturezas, em 2021 somaram 25, enquanto que em 2020 foram 38, ou seja, apresentou caiu 5,79%.

Foto: Matheus de Lara

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.