Tibagi recebeu secretário e desembargador em reunião da AMCG

Tibagi recebeu secretário e desembargador em reunião da AMCG

Da Assessoria

Tibagi – As ações desenvolvidas no Paraná em prol do desenvolvimento sustentável tiveram destaque na sexta-feira (4) durante a segunda reunião ordinária da Associação dos Municípios dos Campos Gerais (AMCG), em Tibagi. O secretário de estado de Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Márcio Nunes, foi um dos convidados e explanou sobre alguns dos programas de governo e também ações simples, que a própria população pode fazer em prol da sustentabilidade. “Se cada um fizer a sua parte, conseguimos resolver o problema que estamos vivenciando”, disse, destacando que “não existe um planeta B”.

O anfitrião do evento, prefeito de Tibagi Arthur Nolte, Butina, aproveitou a presença do secretário para solicitar apoio quanto à concessão do Parque Estadual do Guartelá, que deve contar com nova consulta pública no próximo dia 28. “A concessão só tem a somar para a atividade turística no estado do Paraná”, destaca, lembrando dos empregos e dos recursos gerados pelo turismo.

Os programas ‘Descomplica Rural’, ‘Energia Sustentável’ e ‘Proceu’, além dao plantio de árvores nativas em todo o Estado também foram citados pelo secretário estadual em sua apresentação ‘Sustentabilidade e Simplicidade’. Para Nunes, o Descomplica vem minimizando a burocracia para a instalação de empresas, mas com a segurança técnica e jurídica para garantir a conservação do meio ambiente.

Já o programa de geração de energia limpa triplicou no Estado o uso da energia solar e vem incentivando a energia proveniente do biogás. Por fim, o secretário destacou o Proceu, “o maior programa de combate a erosão urbana do mundo”.

Regularização Fundiária

Para apresentar o programa ‘Moradia Legal’ do Tribunal de Justiça do Paraná, o desembargador Abraham Lincoln Calixto foi convidado. Municípios como Ponta Grossa, Castro e Piraí do Sul já estão se beneficiando com a regularização de moradias. “O desembargador vem fazendo um trabalho único no Paraná. Todos os municípios precisam legalizar a questão fundiária”, aponta o presidente da AMCG.
Sem despesas e com a orientação do TJ, o programa vem ajudando a “dar uma moradia digna para as pessoas. Conseguimos fazer um programa inigualável no mundo. Observando o código civil”, exulta o desembargador, lembrado ainda que tudo o que se refere à moradia urbana está contemplado. Para o juiz coordenador do ‘Moradia Legal’, Ricardo Piovesan, “os prefeitos devem adotar o programa para levar a cidadania e humanidade para as pessoas que necessitam”.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.