Chociai pede nulidade de aditivo firmado entre Elizabeth e VCG

Chociai pede nulidade de aditivo firmado entre Elizabeth e VCG

“Segundo o parlamentar, aditivo que beneficia a VCG foi firmado ilegalmente pelo Poder Executivo”

Da Assessoria

Ponta Grossa – O presidente da Câmara Municipal de Ponta Grossa, Filipe Chociai (PSD), protocolou nesta quarta-feira (07), projeto de decreto legislativo n.º 01/2024, que objetiva sustar os efeitos do décimo terceiro aditivo ao contrato n.º 143/2023, firmado entre o Município de Ponta Grossa e a empresa Viação Campos Gerais – VCG, publicado durante a semana pelo Município de Ponta Grossa.

Segundo Chociai, o Município firmou o aditivo contratual, estendendo ilegalmente para 14 anos a vida útil dos veículos do transporte coletivo urbano, sem autorização legal para tanto.

“Ocorre que a prefeita Elizabeth considerou aprovado o projeto de lei n.º 424/2023, enviado à Câmara, por ter recebido 10 votos favoráveis e 07 contrários, mesmo tendo o sistema Legislador apontado sua rejeição.
Sem adentrar ao mérito do quorum para aprovação da matéria, mesmo que o projeto de lei tivesse sido aprovado em primeira discussão (como está sendo equivocadamente considerado pelo Poder Executivo), o mesmo deveria ter sido aprovado também em segunda discussão, para ter preservada sua regularidade, para somente depois ser enviado à Sanção do Poder Executivo, e assim ser aplicável. É uma situação nunca vista em Ponta Grossa e que certamente não será albergada pela legislação e pelos órgãos fiscalizadores”, disse Chociai.

Segundo o parlamentar, nos termos do art. 57 da Lei Orgânica Municipal, a maioria absoluta dos vereadores poderiam ter apresentado novo projeto de lei de igual teor ao 424/2023 – inclusive em regime de urgência- o que não foi feito até o término do ano legislativo de 2023 ou poderia o Poder Executivo ter reapresentado a matéria ao Poder Legislativo, não sendo necessária essa correria tão grande realizada pelo Poder Executivo, para beneficiar a Concessionária do Transporte Coletivo, na contramão do interesse público.

Redação Página 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.
× Fale com o P1 News!