Sínodo 2023 é abordado com lideranças de paróquias de Castro e região

Sínodo 2023 é abordado com lideranças de paróquias de Castro e região

Da Assessoria

Sob as bênçãos da Mãe da Divina Graça, padroeira da Diocese de Ponta Grossa, 37 lideranças das três cidades que integram o Setor 5 passaram a tarde deste sábado (30), em um encontro com a equipe diocesana do Sínodo 2023. Flávia Carla Nascimento e padre Alvaro Martins Nortok, o anfitrião da reunião, definiram o processo sinodal como um convite do Papa Francisco à toda a Igreja para que reflita sobre a sinodalidade como o caminho que Deus espera dos católicos do terceiro milênio. Um assunto considerado decisivo para a vida e missão da Igreja.

O Sínodo 2023, que tem como tema ‘por uma Igreja Sinodal: Comunhão, Participação e Missão’, está em sua fase diocesana. Isso significa dizer em sua etapa de acolhida, escuta, convivência, fraternidade, diálogo e comunhão, que, neste momento, envolve o grupo coordenador, convidado pelo bispo Dom Sergio Arthur Braschi, e as equipes paroquiais, instrumento catalisador nas comunidades da Diocese. Os objetivos e as formas do processo sinodal foram explicados hoje a representantes das paróquias Sant’Ana, São Judas Tadeu, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e Nossa Senhora do Rosário, de Castro; Menino Deus, de Piraí do Sul, e São Roque, de Ventania.    

“Precisamos refletir sobre o que o Papa Francisco nos pede sem medo, mas animados, entusiasmados”, comentava padre Alvaro, vigário da Paróquia Sant’Ana, e, como assessor da Comissão Diocesana de Liturgia e Canto Pastoral, integrante da equipe diocesana de preparação do Sínodo. “Na verdade, acredito que seja profetismo o que o Papa está fazendo: alcançar a renovação da Igreja a partir do ouvir a base, a partir dessa escuta. Porque muitas coisas estão se perdendo hoje em função do egoísmo, da individualidade, do fechamento. A realidade da caminhada pós-pandemia tem que ser olhada com os olhos de Deus. E sei que vamos contar com a palavra de Deus e a graça do Espírito Santo”, acrescentou.

De acordo com padre Alvaro, hoje, cada paróquia faz a evangelização do seu jeito. “Nossa unidade na pluralidade de cada uma. Mas, precisamos com os olhos da fé enfrentar o que acontece na família, na escola, no trabalho. É o testemunho da Igreja que chama o cristão”, frisou, citando o Evangelho do último domingo, em que Jesus, que caminhava, pára ao ouvir o grito de quem o chamava. “Nós vamos ouvir muitos gritos e será preciso escutar. Apenas escutar. Sem respostas prontas”, destacou. O padre ressaltou a importância de se colocar em oração, pedindo que, a partir de agora, seja lida a Oração do Sínodo antes de todas as celebrações.

Flávia Carla Nascimento, coordenadora diocesana da Pastoral de Animação Bíblico-Catequética, comentou que o trabalho precisa acontecer em rede, explicando a necessidade da mobilização das lideranças de todas as pastorais, movimentos, organismos e associações da paróquia, que deverá se reunir em pequenos grupos, rezar, refletir e responder dez perguntas-estímulo. Essa escuta terá quatro meses para acontecer. “Vocês têm até o dia 26 de fevereiro para nos enviar o resultado dessa consulta. Esse dia será um grande momento, quando faremos uma celebração na Catedral Sant’Ana para marcar a entrega da colaboração das paróquias. Vocês nos mandarão as respostas por email e farão uma cópia impressa para ser entregue nessa celebração”, explicou. Flávia incluiu outras três questões a serem respondidas, que foram, segundo ela, sugeridas pelo bispo Dom Sergio: ‘você quer participar na consulta do Sínodo?’, ‘como vê a atuação da Igreja no Brasil e na Diocese/’ e ‘no que a Igreja pode contribuir com a sociedade?’. A consulta, lembrou ela, é aberta a todos os batizados. “Isso inclui aquelas pessoas que vêm à missa todo o domingo, mas não participam de uma pastoral”.

Outras três reuniões nos Setores serão realizadas pela equipe diocesana, que inclui ainda os padres Joel Nalepa, Evandro Luis Braun e Kleber Pacheco. Dia 3, a mobilização envolverá as paróquias do Setor 6. A reunião acontecerá na Paróquia Cristo Rei, às 19 horas; dia 4, do Setor 7, na Paróquia Nossa Senhora da Luz, em Irati, e, dia 8, às 19h30, do Setor 8, na Paróquia São José, de Imbaú.

Participam dos encontros os coordenadores dos Conselhos de Pastoral Paroquial (CPP) e Conselhos de Pastoral da Comunidade (CPC), diáconos, catequistas, religiosos, integrantes da Liturgia e de grupos de jovens.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.