Paróquias locais passam por reforma e construção

Paróquias locais passam por reforma e construção

Renato de Oliveira

Das quatro paróquias católicas da cidade de Castro, duas delas- Perpétuo Socorro no Jardim Colonial e São Judas Tadeu, na vila Santa Cruz, estão em fase de construção de uma nova igreja matriz. Já a paróquia do Rosário, na vila Rio Branco, iniciou esta semana, a reforma do telhado entre outras melhorias.
De acordo com Frei Osmar dos Santos de Paulo, da paróquia de Nossa Senhora do Rosário, dos padres de Sion, na vila Rio Branco, são mais de 20 anos que a igreja não recebe manutenção. “A igreja, como um todo, até tem uma boa estrutura, mas com o passar do tempo, principalmente a área do telhado vem sofrendo com infiltrações e temos tido alagamentos frequentes, provocados por chuvas fortes. Há ainda o problema com a infestação de cupins, por isso a necessidade dessa reforma”, destacou. Para isso, foi convocado o Conselho da comunidade e definido o início desses trabalhos.
Além da troca do telhado, outros setores também vão receber atenção especial, como o altar central, sacristia, capela do batismo, entre outras medidas. “Boa parte do novo telhado já está concluído. É um telhado térmico, que dispensará inclusive a instalação de grandes ventiladores no teto, além de um cuidado especial com a acústica da igreja. De outro lado, como somos religiosos de Sion, a cruz de Jerusalém está presente neste contexto em nossa congregação. A cruz que hoje está acima do altar central, todo o madeiramento em volta está carregado de cupins, caindo sobre a cabeça do padre”, brincou. Já o prebistério será reformado, possibilitando o acesso de pessoas com necessidades especiais d idosos, neste setor que hoje tem muitos degraus e impede esta locomoção. Um outro local que receberá atenção especial será a porta de entrada da igreja que segundo o religioso é muito estreita e não está devidamente adaptada com o projeto de prevenção estabelecido pelo Corpo de Bombeiros. “Penso que a igreja deve estar aberta para todos”, ressaltou.
Para dar conta dessa reforma, a paróquia tem buscado formas de arrecadação, como por exemplo, promoções de venda de pastel, bolos, cachorro quente, rifas. “Isto possibilitou o pagamento do serviço do telhado. Temos ainda um carnê – igual aquele das Casas Bahia, com 12 prestações”. Frei Osmar fez questão de ressaltar que embora a generosidade da comunidade, só a devolução do dízimo, ofertas, não é capaz de suprir todas as despesas. “Depois que iniciamos as obras de reforma, percebemos que a comunidade como um todo, matriz e capelas, tem colaborado das mais diversas formas”, assinalou.
“E nós também, como religiosos, estamos fazendo a nossa parte. Vendi o carro da paróquia para angariar novos recursos e estou fazendo o trabalho a pé, de bicicleta e até mesmo a cavalo”, destacou. Por fim, Frei Osmar de Paulo assinalou a importância desse esforço em conjunto. ” A igreja não é do padre. É casa de Deus e da comunidade. Que todas as pessoas possam se comprometer com as causas do Reino de Deus”, finalizou.

Perpétuo Socorro constrói nova matriz
Ao completar 15 anos de sua fundação, a igreja do ‘Ícone do Amor’, como é definida a paróquia do Perpétuo Socorro, de Castro, no Jardim Colonial, entra em fase de construção de uma nova igreja matriz. Esta semana, começaram os trabalhos para nivelar o piso ao mesmo tempo em que as paredes laterais são levantadas. Numa primeira e segunda etapas, depois dos serviços de fundação da obra e estrutura de pré-moldados que darão sustentação a construção, já foram instaladas a parte da cúpula central e colocada a cobertura do telhado.
Conforme explicou padre Cristiano Marcos Rodrigues, um dos motivos que levaram a construção de um novo espaço, foi que a igreja anterior era muito pequena e não comportava a comunidade, principalmente em celebrações especiais.
“A capacidade total não ultrapassava a casa de 380 pessoas. Com esta construção, este número deverá girar em torno de 700. A antiga igreja que foi demolida para dar espaço a nova construção, tinha colunas no meio da nave central e era fruto de várias outras reformas”, disse.
De outro lado, padre Cristiano fez questão de ressaltar que antes de construir a nova igreja, foi pensado na parte espiritual. “Com isso, o altar vai receber uma atenção especial, mesmo porque agora somos guardiões de uma relíquia do Papa São João Paulo Segundo que será colocada no altar, depois do processo de ‘dedicação’, do novo espaço. Teremos uma sala especial para o Santíssimo, para a pia batismal, confessionário. Somos a igreja do ‘ícone do Amor’. A inspiração se baseia na Mãe do Perpétuo Socorro, todas as cores, as duas torres tem um sentido, a nave terá seis colunas laterais, representando os 12 apóstolos. Com isso, quisemos colocar uma simbologia em toda a arquitetura”, sinalizou.
Padre Cristiano faz questão de ressaltar a generosidade da comunidade da igreja matriz, assim como das 15 capelas do interior e ainda de muitos outros colaboradores, que tem respondido as ações e campanhas promovidas para arrecadar fundos para custear a obra. “Temos a campanha do Tijolinho, doações voluntárias, venda de pastel, festas da paróquia, bazar. Estamos vivenciando esse tempo da pandemia em meio a tudo isso, temos feito aquilo que é o necessário, mesmo porque temos compromissos, contas a pagar, tem a parte social que envolve famílias carentes que nossa paróquia mantém. Agora, nós lançamos a campanha do ‘Meu Tijolão’, onde cada tijolo tem um preço de r$2,50 e nome do doador será inscrito na peça. É lógico que o tijolo será depois rebocado, mas a pessoa sabe que efetivamente contribuiu para que as paredes da igreja fossem levantadas. Todo dia 27 de cada mês, temos a missa votiva, em honra a Mãe do Perpétuo Socorro, com sorteio de uma estampa de nossa padroeira”, ressaltou.
Toda a construção foi definida em três etapas: a primeira, abrangeu a parte da cúpula, a segunda a colocação da estrutura do pré-moldado e cobertura do telhado e uma terceira a instalação do piso e paredes laterais e de toda a obra. “O nosso desejo é que ainda este ano possamos levantar todas as paredes, rebocar e fazer o piso e para o próximo ano, instalação de janelas com vitrais, portas, e o acabamento final. A Mãe do Perpétuo Socorro sempre nos carrega em seu colo e dela ouvimos ‘Fazei tudo o que Ele vos disser’. E assim estamos levantando a nossa igreja, junto com tantas outras coisas bonitas que nossa paróquia já conquistou”, finalizou padre Cristiano Rodrigues.

São Judas Tadeu prossegue construção
Iniciada ainda na gestão de padre Silvestre Selunk, depois de um período de paralisação, a construção da nova igreja matriz de São Judas Tadeu, de Castro, agora sob a coordenação de seu novo pároco, padre Franco Allen Somensi, retomou no ano passado a obra de instalação do novo espaço. Na quinta-feira (11), uma missa concelebrada marcou oficialmente, a abertura dos festejos do cinquentenário da paróquia, em 2022. Fundada em 11/02/72, celebra 49 anos de sua criação.
Hoje com mais de 60 por cento da obra já concluída, segue com campanhas para angariar verbas. Mesmo com a pandemia que reduziu consideravelmente a arrecadação, a equipe que coordena a obra, tem buscado por alternativas e contado com a generosidade da comunidade da matriz e também do interior, além de outros colaboradores. “Quando assumi a paróquia de São Judas, este processo da construção da nova igreja já era um projeto já longo, com mais de 10 anos. Muitos outros padres por aqui já passaram pela coordenação desta construção. O motivo principal desse empreendimento é que o atual espaço de nossa igreja é muito reduzido, principalmente nas celebrações especiais como Crisma, Primeira Comunhão e tantos outros eventos de nossa comunidade. A idéia é se fazer uma estrutura moderna, com uma característica muito importante: a proximidade das pessoas para com o altar, com o celebrante”, destacou.
Hoje a paróquia está em processo de retomada da construção, que sofreu uma paralisação com a chegada da pandemia. “Antes, havia muita participação e colaboração da comunidade como um todo e com esta pandemia precisamos interromper a obra de construção. Nosso dízimo hoje não dá conta de manter a paróquia com as contas em dia, temos folha de pagamento, luz, água e sempre contamos com o ofertório e outras formas de colaboração. Ficamos seis meses sem missa presencial, e com isso fomos obrigados a resgatar valores que já estavam destinados para a construção, para poder honrar, com nossos compromissos. Agora com o retorno das missas presenciais, mesmo com número reduzido de pessoas, estamos retomando, embora de forma mais lenta, a construção”, acrescentou.
De acordo com padre Franco, os próximos passos serão o fechamento do losângulo da parte frontal da igreja- feita em metal-, janelas com vitrais, portas, entre outros elementos, como o contra piso, por exemplo. “Com isso, já podemos celebrar no novo espaço”, adiantou. Um dos grandes ganhos da nova construção se refere a acústica do local. ‘O teto foi construído já pensando na propagação do som, que requer equipamentos caros e nossa igreja terá uma boa acústica”, disse o pároco. Setores como a sacristia estão em fase de discussão com engenheiros e projetistas, junto com a coordenação. “Como a nossa paróquia de Castro foi a primeira da nossa Congregação Cavanis no Brasil, sempre em celebrações especiais reúne uma grande comitiva de padres e religiosos, daí a necessidade desse espaço ser amplo e confortável”, acrescentou.
Dentre as formas encontradas para gerir recursos para a manutenção dessa construção, desde o início foi lançado um carnê de contribuição, como vários valores. “Temos ainda as contribuições espontâneas de todas as camadas, produtores rurais e da comunidade como um todo. Não temos do que reclamar, embora, os recursos ainda estejam muito abaixo do que a obra de construção dessa magnitude, necessita”, destacou.
“Temos ainda outros eventos como a festa de nossa padroeira, festa do Divino, leilões, rifas. E um dos carros-chefes tem sido a promoção da ‘Pizza Solidária”, cujos recursos são exclusivos para a obra da construção. No início da construção, ainda na fase de fundação, tivemos alguns contratempos que oneraram ainda mais o custo da obra. O terreno é muito arenoso, fomos obrigados a aumentar o número das pilastras de sustentação”, disse padre Franco.
A nova igreja de São Judas Tadeu, construída em dois pavimentos, será um espaço multiuso. “Na parte inferior há espaço para suficiente para abrigar palestras, conferências, salas de catequese, banheiro, estrutura para festas. Esperamos que tudo isso desperte na comunidade, o espirito da caridade. Tudo aquilo que temos feito, promoções, festas, nossos paroquianos tem tido uma resposta positiva, assim como outras pessoas que não pertencem a nossa paróquia, mas que fazem questão em colaborar. E nós só temos a agradecer”, finalizou padre Franco Allen.

Fotos: Renato de Oliveira

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.