Comerciantes castrenses ainda não sentiram impacto com a redução do IPI

Comerciantes castrenses ainda não sentiram impacto com a redução do IPI

Luana Dias
Especial Página Um News

Decretada pelo governo federal há cerca de duas semanas, a aplicação da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) deverá ser responsável pela diminuição de 25% (do imposto) para produtos e bens industrializados, como roupas, calçados, alimentação, eletrodomésticos (linha branca) e eletroeletrônicos, e de até 18,5% do imposto sobre carros. A exceção é para derivados de tabaco, que continuam com a mesma tributação.

Apesar de animadora, por possibilitar a redução dos preços que chegam ao consumidor final, a medida ainda não movimentou significativamente os setores que serão impactados pela mudança em Castro. A reportagem do P1 News conversou com lojistas do município, que afirmaram ainda não haver registro de aumento nas vendas no período.

No caso da loja onde Celio Silva é gerente, e que comercializa material de construção, eletrodomésticos e móveis, a redução do IPI impulsionou ligeiramente o setor dos eletros. Segundo ele, um movimento cerca de 20% maior foi registrado, após a divulgação da medida, comparando o período com o mesmo do mês anterior.

Celio, no entanto, acredita que uma exploração mais ampla da novidade por parte da empresa, irá chamar mais atenção de seus clientes. “É algo que chama os clientes, principalmente aqueles que costumam fazer pesquisas de preço e ficam aguardando baixas para comprar o que estejam precisando. Alguns clientes estão aguardando até que haja a confirmação de que de fato, houve redução de preço, e a loja certamente aproveita para fazer propaganda, para usar essa redução nas divulgações da empresa”, destaca.

Alguns estabelecimentos comerciais, conforme os produtos que vendem, ainda dependem da renovação do estoque para aplicarem a redução. A medida que recebem da indústria mercadorias com redução do imposto, conseguem vender com menor preço.

Já na revendedora de veículos onde Christian Aires trabalha, a redução do IPI ainda não causou impacto. “Ainda não sentimos diferença tão significativa, pra nós, na verdade, o início desse mês foi mais ou menos igual ao mês passado”, ressaltou.

O profissional também acredita que a divulgação da medida é o que vai impulsionar o mercado. “Acredito que ainda falta informação. Boa parte da população ainda não sabe dessa redução”, finalizou ele.
Vale destacara que o decreto simboliza redução específica para os preços de automóveis – item que teve preços consideravelmente elevados ao longo de 2021.

Consumidor pode levar até dois meses para sentir diferença

De acordo com alguns economistas, apesar de se tratar de um decreto, ou seja, medida que passa a vigorar imediatamente, a partir da edição (ocorrida em 25 de fevereiro), o consumidor pode passar de um até dois meses ainda sem sentir diferença alguma nos preços dos produtos que irá adquirir, devido a redução do IPI. Isso porque, a maioria dos estabelecimentos trabalha com estoque, e só depois que receber produtos com o imposto reduzido pela indústria, é que irá repassá-los mais baratos para o consumidor final.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.