Senna – 30 anos de ausência

Senna – 30 anos de ausência

Renato de Oliveira
Especial Página Um News

No feriado de Primeiro de Maio, dia dedicado ao Trabalhador, o mundo esportivo – especialmente fãs e adeptos do automobilismo – relembram com saudade, a morte trágica do piloto brasileiro Ayrton Senna da Silva.
São 30 anos do acidente fatal na pista de Imola, na Itália, durante a disputa do Grande Prêmio de Fórmula 1, em 1994.
Entre os milhares de fãs, estava o repórter Renato de Oliveira que na época, trabalhava como free-lancer do jornal Página Um. Naquela manhã de domingo, assim como admiradores do piloto e do esporte da velocidade espalhados pelo Brasil e mundo afora, Renato assistia pela TV, em sua casa, as primeiras movimentações do circuito de Fórmula Um.
Senna liderava a corrida, quando na sétima volta seu carro foi de encontro a um muro, na curva Tamburello a mais de 200 km por hora. De imediato, Renato se deslocou de sua residência até a redação do jornal, instalado na época, no casarão da esquina em frente a praça Manoel Ribas, onde também estava o estúdio da Rádio Castro (AM).
Naquele ano, Renato produzia um programa de variedades nesta mesma emissora chamado ‘Sábado Livre. “Pedi licença ao locutor e contei sobre o acidente que envolveu Senna. Ficou decidido que entraria no ar para noticiar o fato. Utilizando a vinheta de chamada do programa RC Notícias, passei a informar em edição extraordinária e de forma cronológica sobre o acidente.
9h20 – “Um acidente de gravíssimas proporções, envolveu agora a pouco o piloto brasileiro Ayrton Senna. Retirado da pista do circuito de Ímola na Itália ainda inconsciente foi levado de helicóptero para o hospital mais próximo da pista. Continuamos na retaguarda e voltaremos com novas informações. Você continua com a programação normal da emissora”.
9h40 – “As primeiras informações, depois do gravíssimo acidente que envolveu o piloto brasileiro, Ayrton Senna, que disputava na manhã desde primeiro de maio, confirmam: Senna deu entrada no centro de reanimação do hospital de Majori, na Itália, com traumatismo craniano. A notícia foi confirmada pela Agência de Notícias. Senna está, neste momento sendo submetido a uma série de exames. Continuamos na retaguarda”.
E repassou mais detalhes da corrida daquele final de semana. “Na sexta-feira, na disputa dos treinos extraoficiais para a corrida desta manhã de domingo, o também piloto brasileiro Rubinho Barrichello, da equipe Jordan, sofreu acidente. Seu carro bateu no muro de proteção a mais 200 quilômetros por hora e capotou por diversas vezes. Quase que num milagre, Rubinho sofreu apenas cortes na boca e teve fratura de nariz e uma costela quebrada. E isto o impediu que estivesse hoje, pela manhã, disputando o Grande Prêmio de San Marino. Ontem, pela manhã, a notícia mais triste – a morte do piloto austríaco, Roland Ratzemberger. E agora pela manhã, na largada da corrida, antes mesmo de completar a primeira volta, J.J.Letto e Ricardo Lanini se envolveram em nova batida, mas sem maiores consequências. Minutos depois do acidente de Senna, com pista liberada, a corrida voltou a ser disputada. Michael Schumacher venceu o GP de Ímola, seguido de perto por Nicola Larini. Cristian Fittipaldi, piloto brasileiro, abandonou a disputa nas últimas voltas, por problemas mecânicos em seu carro. Terminado o GP na Itália, o piloto alemão lidera o campeonato mundial de Fórmula 1, com 30 pontos”, informou.
10h02 – 0 jornal RC Notícias, retorna em edição extraordinária: É muito grave o estado de saúde do piloto brasileiro Ayrton Senna. Além do trauma craniano, teve várias fraturas. Está, segundo boletim médico em coma. Sofreu choque hemorrágico com parada cardíaca. O médico chefe da equipe do hospital de Majori, vai submeter Senna a uma tomografia. São estas as informações de momento. Repito: a situação de Senna, é muito grave. Você continua agora, com a programação normal dessa emissora”, relatou o repórter.
12h50 – Renato retorna ao microfone. “O jornal RC Notícias informa e esta é uma nota que jamais gostaríamos de transmitir – o piloto brasileiro Ayrton Senna da Silva, teve morte cerebral”, destacou.
14h05 – “Ainda há pouco, fazíamos um comunicado sobre a morte clínica de Senna. Uma nota oficial da médica Maria Tereza, chefe da equipe clínica do hospital de Majori, confirma: Ayrton Senna está oficialmente morto. Sua morte foi registrada exatamente às 18h40 horário da Itália e a 13h40, do horário brasileiro”, informou o repórter.
Senna tinha 34 anos e já disputara 168 Grandes Prêmios. 41 vezes, largou na pole position. Tri campeão mundial de Fórmula 1, a morte de Senna, deixou de luto todo o mundo esportivo mundial.
E o repórter Renato de Oliveira encerrou a série de notícias extraordinárias. “Mais detalhes de todo este trágico acidente que vitimou Senna e da própria corrida disputada na manhã deste domingo – feriado de Primeiro de Maio, você terá na segunda-feira, no jornal RC Notícias desta emissora que vai ao ar, ao meio-dia. Você continua agora, com a programação normal da rádio Castro. Boa tarde “, finalizou.
O repórter Renato de Oliveira, envolto num silêncio profundo, contendo às lágrimas, voltou para a redação do jornal Página Um, desligou as luzes , fechou a porta e retornou para sua casa. Três décadas depois de sua morte, a trajetória vitoriosa de Senna, ainda é uma referência de garra e tenacidade para as novas gerações. O piloto Ayrton Senna da Silva, encerrou de forma trágica, sua brilhante carreira repleta de vitórias nas pistas e que lhe valeram o título de Tricampeão de Fórmula 1. Morria alí, o piloto brasileiro que tantas alegrias trouxe para nós e para o mundo esportivo. Nascia alí, o mito Ayrton Senna, herói de nossas manhãs de domingo.

Redação Página 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.
× Fale com o P1 News!