Vinda do presidente não aquece setor hoteleiro da região como no primeiro anúncio da visita

Vinda do presidente não aquece setor hoteleiro da região como no primeiro anúncio da visita

Luana Dias

Diferente do que ocorreu a primeira vez que a vinda de Jair Bolsonaro, presidente da República, para os Campos Gerais foi anunciada, agora não houve aumento significativo nas reservas de hotéis da região. A reportagem conversou com profissionais de nove unidades, que ficam nas cidades de Castro, Ponta Grossa e Piraí do Sul, justamente as três que incluem a rota do político. Na maioria deles o número de reservas para este final – quando o presidente deve passar pelas cidades – não cresceu acima da média esperada para a data.

Na cidade de Ponta Grossa, onde Bolsonaro deve cumprir agenda na sexta-feira (5), dos cinco hotéis consultados pela redação, apenas dois tiveram aumento considerável de reservas. Nos demais o restante da semana deve ter rotina semelhante a outras épocas comuns do ano. Em um dos hotéis inclusive, cujo profissional responsável pelas reservas foi ouvido, a semana está sendo marcada por um número menor de reservas, que o registrado nas semanas anteriores. Isso por conta do feriado de finados, que reduziu o ritmo das viagens de trabalho, por exemplo.

Já no hotel onde Thais Rodrigues trabalha na reserva das vagas, um grupo, que segundo ela provavelmente compõe a comitiva de Bolsonaro, reservou quartos, porém, não em número suficiente para alterar a rotina de trabalho do local. “Não recebemos reserva de pessoas de fora que venham para esse evento. Recebemos apenas algumas pessoas que vão compor o grupo, mas não mudou nossa demanda”, explicou.

Já em Castro, por onde Bolsonaro deve passar também na tarde de sexta-feira, a reportagem conversou com atendentes de três hotéis. Em um deles, uma equipe que faz parte da comitiva de Bolsonaro já está instalada, e segundo o entrevistado, o número de reservas para a semana cresceu graças a hospedagem de pessoas que fazem parte da equipe do presidente.

Quanto às outras duas unidades consultadas, em uma delas não houve reservas, e em outro, segundo o entrevistado não houve exageros, mas um número considerável de reservas foi feito para a ocasião. “A semana está com movimentação fraca em função do feriado, mas o pessoal que vem para o evento aumentou um pouco a demanda”, destacou. No hotel se hospedarão alguns militares e pessoas que provavelmente irão cuidar da segurança de Bolsonaro.

Já em Piraí do Sul, de onde a motociata com a presença do político deve sair no sábado (6), a reportagem conversou com o atendente de um hotel, segundo o qual, a demanda aumentou devido a vinda de Jair, mas não de forma significativa.  O entrevistado também contou que o número de reservas desta vez foi menor que em setembro, primeiro mês para o qual estava agendada a visita do presidente.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.