Trabalhadores demitidos da Via Nova continuam sem receber

Trabalhadores demitidos da Via Nova continuam sem receber

Cleucimara Santiago

Carambeí – Trabalhadores demitidos da empresa Via Nova Serviços, contataram a reportagem do Página Um News nessa terça-feira (23), onde por Whatsapp encaminharam vários áudios manifestando o desespero de não receberem seus salários de janeiro e o aviso indenizado.

O caso vem se arrastando há tempos, muito antes dos trabalhadores serem demitidos por via aplicativo de mensagem. A informação trazia que eles receberiam em 23 de março, mas até o fechamento desta matéria nenhum centavo foi pago. Uma funcionária relata que todos estão com as contas atrasadas, gerando juros, alguns casos falta até alimentos na casa.

Em meio a tortura de não saber quando serão pagos, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Carambei, em conversa com a redação, informou que o Ministério Público já se manifestou e que é uma questão de tempo para os pagamentos.

Entenda o caso

Os salários referentes aos trabalhos prestados no mês de janeiro, deveriam ser pagos no quinto dia útil de fevereiro. Sem receber, os trabalhadores recorreram ao Sindicato dos Empregados de Asseio, Conservação, Limpeza Urbana, Ambiental, Áreas Verdes, Vias Rodoferroviárias e Similares de Ponta Grossa e Região (Siemaco), que agrega a categoria. No dia 11 de fevereiro, a reportagem do Página Um News fez a primeira matéria e vem acompanhando o caso desde então.

Várias reuniões entre representantes da prefeitura de Carambeí e da empresa Via Nova, foram realizadas, inclusive na terça-feira de carnaval, 16 de fevereiro, mas não chegou-se a um consenso. Diante disso, após tentativas frustradas de acordo entre a prefeitura e a empresa, o Siemaco entrou com medida de tutela provisória de natureza cautelar no dia 17 de fevereiro e teve no dia 18 de fevereiro o pedido deferido pelo juiz do Trabalho Substituto de Castro, Paulo Possebon de Freitas, para garantir o pagamento dos trabalhadores.

No dia 1° de março, enquanto os trabalhadores aguardavam ansiosos uma mensagem de previsão de pagamentos, receberam no início da noite a dispensa por via aplicativo de mensagens e previsão de pagamento. “Devido a conhecimento de todos, os contratos estão sendo encerrados. Segue a sua carta de aviso prévio indenizado. Previsão da data do acerto 23/03.Todos os uniformes, calçados e crachás deverão ser entregues no escritório entre os dias 04 e 05/03”. Até mesmo o diretor da empresa que estava a frente das negociações pediu desligamento da prestadora de serviços.

A prefeitura de Carambeí, após os trâmites legais, afirma que depositou no dia 11 de março, em juízo do Trabalho, da Comarca de Castro, o valor de R$ 131.667,26, sendo a integralidade dos valores devidos à empresa Via Nova, decorrentes da prestação dos serviços de limpeza por pessoal terceirizado.

Os 40 funcionários demitidos aguardam urgente uma solução.

Procurado pela reportagem, o Siemaco enviou a seguinte nota:

COMUNICADO OFICIAL

Em resposta às conversas paralelas em que afirmam que o SIEMACO não tem feito o necessário para liberar os valores devidos aos empregados, esclarecemos que foi feito o pedido ao juiz, o qual negou devido a TRAMITAÇÃO PROCESSUAL que obedece a legislação vigente. Esclarecemos ainda que os PRAZOS são fixados pela lei e portanto devem ser obedecidos para evitar NULIDADE NO PROCESSO. Infelizmente o sindicato não pode mudar a lei. Ainda mencionamos que a pandemia e lockdown em Curitiba vem dificultando a notificação da empresa Via Nova. Está tudo fechado em Curitiba. São circunstâncias que fogem ao controle do sindicato. Podem ter certeza que estamos trabalhando incansavelmente para solucionar a situação de todos vocês. Segue em anexo o pedido que fizemos ao juiz solicitando a liberação dos valores e a decisão do juiz negando a liberação.

Foto: Arquivo

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.