Página Um News lamenta a morte da advogada Telma Fagundes Carrilho aos 75 anos

Página Um News lamenta a morte da advogada Telma Fagundes Carrilho aos 75 anos

Da redação

Em meio ao silêncio da manhã de segunda-feira (17), faleceu no Hospital do Coração Bom Jesus, aos 75 anos, de pneumonia bacteriana, uma das principais colaboradoras do Página Um, hoje Página Um News, a advogada Telma Fagundes Carrilho, mãe de um dos fundadores do periódico. Ela sofria de Alzheimer.
Nascida em Ponta Grossa em 12 de dezembro de 1948, doutora Telma, esposa de Olivério Carrilho, mãe dos gêmeos Valéria e Sandro Adriano Carrilho, irmã de Lia Mara Szezech Fagundes e avó de Amanda de Lima Carrilho, tinha um propósito que ia além de cuidar de sua família, o de ajudar o próximo.
Formada em História e mais tarde em Direito pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), descobriu na advocacia a sua vocação, seja para defender os interesses do jornal, em ações nunca perdidas por ela, seja como concursada da Prefeitura de Castro, como advogada. Foi convidada a lecionar, mas preferiu o Direito, sendo chamada pelo desembargador José Sebastião Fagundes Cunha, para integrar a primeira turma de conciliadores e juízes leigos do juizado especial Cível e Criminal, período que trabalhou como conciliadora junto ao Fórum Estadual de Ponta Grossa.
“Minha mãe tinha uma inteligência fora do comum, beleza ímpar, coração enorme e um talento de causar inveja. Lembro quando tirou a nota máxima na prova de redação, ao prestar vestibular para Direito. Mais tarde, já formada, foi oradora de todas os formandos da UEPG, no ano de 1990, após participar de um concurso interno. Decorou o texto e ao proferí-lo para mais de cinco mil pessoas no Ginásio Oscar Pereira, exibiu postura e correção nas palavras, com certeza ensinamentos vindos de minha avó, a professora do Estado, Lia Maria Szezech Fagundes. Na redação do jornal, contribuiu muitas vezes ao se dispor a revisar textos”, descreveu o diretor e editor do Página Um News, Jornalista Sandro Adriano Carrilho.
Com uma carreira que deslanchava, mesmo pouco tardia, dividia o tempo entre ajudar pessoas através de entidades assistenciais, como também participava de grupos de Pais e Mestres e do Lions Clube Pitangui, em Ponta Grossa.
Com duas faculdades e duas pós-graduações, além de dezenas de cursos pelo Brasil afora, prestou concurso pela Prefeitura de Castro, na área de Direito, sendo aprovada em segundo lugar no ano de 2001, onde ingressou como advogada. Seguiu com a profissão até ser afastada, para tratar do Alzheimer.
Anos mais tarde, já acamada, a família ainda recebia oficiais de justiça que a procuravam para atender pedidos da justiça gratuita, pois nunca se negava.
A Missa de Sétimo Dia de Telma Fagundes Carrilho acontece neste domingo, às 19 horas, na Igreja Bom Jesus, em Uvaranas, Ponta Grossa.

Redação Página 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.
× Fale com o P1 News!