O preço do peru de Natal e a origem da tradição

O preço do peru de Natal e a origem da tradição

Luana Dias

A presença do peru na ceia de Natal é tão comum que a ave se tornou característica dessa época. Em outras fases do ano inclusive, não é nem tão habitual encontrar o peru à venda nos supermercados.

Apesar de ser tão comum no Brasil, assim como em outros países, por aqui a história da origem da presença dessa ave na ceia de Natal ainda não é tão conhecida. De acordo com alguns relatos, servir o peru em forma de prato especial e em datas comemorativas se tornou tradição no ano de 1621. Por ser uma ave corpulenta e formada por grande quantidade de carne, e considerada como um símbolo de fartura, ela chamou atenção de povos, peregrinos e nativos norte-americanos, que na época queriam celebrar uma grande colheita. Depois disso, a ave teria passado a fazer parte das celebrações do Dia de Ação de Graças, que ocorre anualmente nos Estados Unidos, na quarta quinta-feira do mês de novembro.

Já na ceia de Natal o peru teria sido inserido por volta do século XVI, quando os espanhóis conheceram a ave, e a levaram para a Europa. Desde então o peru passou a fazer parte do cardápio comemorativo, que antes tinha como tradição a presença do cisne. Anos depois o hábito de preparar e assar a ave para a ceia de Natal também chegou a diversos países da América.

Preços

Neste Natal mesmo sendo tradicional e comum, o peru não vai estar em todas as ceias, o fator responsável pela ausência da ave é, sobretudo, o preço. Assim como a maioria dos itens que fazem parte da ceia de Natal, o peru está mais caro esse ano, e em alguns casos, terá que ser substituído por outra ave mais barata, ou mesmo, por outra opção de alimento.

A reportagem consultou os preços, junto a quatro supermercados de Castro, e no estabelecimento onde o peru está sendo comercializado pelo menor preço, a ave, de três quilos e meio custa R$ 50. O segundo menor preço é R$ 72, também para um peru de 3.5 kg, em outro supermercado consultado o preço do peru neste Natal é de R$80, e, onde a ave está mais cara, a unidade sai por pouco mais de cem reais.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.