Filas na vacinação infantil geram reclamações de pais e secretária Maria Lídia diz que não há necessidade de aumentar profissionais

Filas na vacinação infantil geram reclamações de pais e secretária Maria Lídia diz que não há necessidade de aumentar profissionais

Cleucimara Santiago

No final da tarde desta sexta-feira (25), uma enorme fila se formou na UBS Bom Jesus para a vacinação de crianças de 8 a 11 anos contra a Covid-19, o que gerou reclamações de alguns populares e preocupação de pessoas que passavam e se deparavam com crianças no sol, sentadas no meio fio da calçada. Para a vacinação foi solicitado aos pais, apresentar a carteira de vacinas da criança, documento do responsável e da criança, e autorização por escrito. A previsão era que a vacinação fosse até as 15 horas.

A reportagem entrou em contato com a secretária municipal de Saúde, Maria Lidia Kravutschke, e indagou sobre as filas e novas etapas de vacinação. Por telefone, a secretária explicou que a vacinação das crianças é diferente da dos adultos e um pouco mais complexa. “Para você fazer a vacinação, tem que fazer entrevista, uma avaliação das carteirinhas. Tem que olhar se realmente a criança não tomou vacina nos últimos 15 dias, como que está a situação vacinal de cada criança. Nós temos profissionais ali que estão fazendo isso, o problema maior é na hora da vacina. Criança corre, pula, chora e tem todo um trabalho do profissional, que tem que esperar. As vezes sozinha a mãe não consegue imobilizar a criança e na maior parte das vezes outro profissional tem que largar o que está fazendo para auxiliar na imobilização. Tem que segurar a criança”, descreveu Maria Lídia, acrescentando que só na tarde (24) foram vacinadas mais de 900 crianças. Maria Lidia afirma, ainda, que não há demora por parte do atendimento dos profissionais, que o processo de vacinação infantil é mais lento, e que foi aberto a vacinação para a faixa etária em um dia só. Esse processo facilita para as mães que tem dois ou mais filhos na mesma faixa etária, que podem levar os filhos na mesma vez para receber a vacina.

Quanto ao número de profissionais no atendimento, a secretária nos respondeu que o número é o suficiente, e informou que ao todo são 12 profissionais atendendo, sendo 4 na aplicação, 4 na conferência de documentação e 4 registrando nas carteirinhas. Perguntada se não seria possível aumentar o número de profissionais no atendimento, que Maria Lídia disse que “não é essa a questão, não há necessidade”.


Sobre a preocupação das pessoas com as crianças expostas ao perigo de carros e a falta da guarda municipal orientando o trânsito e dando um suporte ao atendimento, a secretária respondeu “me desculpe, mas essa responsabilidade de atender é da mãe que está ali com as crianças. A Guarda Municipal não tem o que fazer”. Maria Lídia ainda afirmou que as filas são justamente pelo cuidado e respeito que o município tem com as crianças e “ há um cuidado redobrado e precisa de muita atenção para que a vacina não pegue um nervo ou lugar errado. Adultos, conseguimos vacinar 2 a 3 mil pessoas em um dia. Conseguimos vacinar até no carro, mas crianças é muito diferente. E, quanto mais baixa a faixa etária, mais complicado fica”.


Segundo a secretária, a vacinação infantil será gradual e na sexta-feira (4) haverá uma etapa para nova faixa etária, sendo de 7 anos mais.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.