Castro vive pior momento da pandemia e bate recorde de novas mortes

Castro vive pior momento da pandemia e bate recorde de novas mortes

Luana Dias

Um dia depois de o prefeito Moacyr Fadel ter se manifestado nas redes sociais, afirmando que o município teria que ampliar o número de leitos para pacientes de Covid que aguardam vagas de internamento, colocando pessoas nos corredores da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Castro registrou número recorde de mortes. Foram seis óbitos em 24 horas, e, desde sábado (22) – um dos dias que mais registrou mortes por Covid (cinco óbitos) até esta quarta-feira (26), 13 castrenses perderam a vida em função da doença. O número total chegou em 184.

Abril e maio também foram os meses em que mais morreram pessoas jovens do município por conta de infecção pelo vírus. Das 50 mortes já registradas neste mês, 26 delas são de pessoas que tinham menos de 60 anos, oito óbitos foram de pessoas com idade entre 43 e 49 anos, e quatro de pessoas com faixa etária entre 28 e 36 anos.

Outro dado alarmante e que prova que o município está vivendo o pior momento da pandemia é a média de novos casos, que vem se mantendo em aproximadamente 65 por dia. Só nos quatro primeiros dias desta semana já foram registrados 330 novos casos, além disso, o número de pacientes em isolamento, ou seja, que estão com o vírus ativo no organismo e em fase de possível transmissão, também é um dos maiores desde o início da pandemia – 614, conforme relatório da Secretaria de Saúde desta quarta. Atualmente Castro tem 9.461 casos confirmados de Covid, e 46 pessoas internadas, 12 delas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Além disso, 10 pessoas aguardam vaga para internamento na UPA, ou seja, todos os leitos disponibilizados para doentes de Covid na Unidade, vem se mantendo integralmente lotadas. A espera desses pacientes, que apresentam quadros graves de saúde, tem durado até mais de uma semana, alguns acabam não resistindo e morrem enquanto aguardam a disponibilidade de uma vaga.

No Hospital da Cruz Vermelha de Castro, onde 30 vagas de enfermaria e 12 de UTI foram abertas em fevereiro, não tem sido diferente. Nesta quarta-feira 28 vagas da enfermaria e oito da UTI estavam ocupadas, no entanto, a diretora administrativa da unidade, Eliana Reinaldo, explicou que mais quatro pacientes estavam a caminho, para serem internados na Unidade de Terapia Intensiva, dois deles eram de Castro e dois de outras cidades. De acordo com a diretora, desde que foram abertas as vagas, a ocupação tem se mantido constantemente em 100%.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.