Castro é destaque em ranking nacional do Ministério da Saúde por redução da mortalidade infantil

Castro é destaque em ranking nacional do Ministério da Saúde por redução da mortalidade infantil

Da Assessoria

O município de Castro registrou, pela primeira vez, a redução da mortalidade infantil para o patamar de um dígito – em 2020 foram nove óbitos na cidade. A cidade também teve destaque, com nota 7,96, em avaliação do Programa Previne Brasil, que concedeu a Castro o Certificado de Qualidade da Atenção Primária, emitido pelo Ministério da Saúde. Os resultados foram possíveis graças a fatores como a melhoria da infraestrutura de atendimento primário e investimentos em tecnologia. 

A digitalização de todos os processos no setor de saúde é um dos fatores que contribuíram para a boa performance da cidade. Hoje o sistema controla desde agendamentos de exames laboratoriais, como Raio X e ultrassons, até a organização da lista de espera e monitoramento da quantidade de exames feitos e solicitados.

Segundo a secretária da saúde do município, Maria Lídia Kravutschke, a digitalização dos serviços permitiu a tomada de decisões orientadas por dados, principalmente na distribuição dos recursos orçamentários. “Agora conseguimos identificar melhor as demandas por exames e fazer uma melhor gestão”. Ela explica que as informações permitem planejar, por exemplo, a ampliação da oferta de atendimentos específicos para atender variações na procura. 

A tecnologia também facilita a descentralização do atendimento, com as informações acessíveis de qualquer dispositivo e integradas em todos os setores. “Além de auxiliar no agendamento de consultas e exames e verificar a disponibilidade de medicamentos, o sistema em nuvem pode ser acessado de diferentes pontos. A equipe de saúde da família acompanha o paciente com maior facilidade em qualquer parte do município”, diz Elvio Meurer, Gerente Comercial da IPM Sistemas, empresa que desenvolve software em nuvem para gestão pública.

Sobre o Previne Brasil

O programa Previne Brasil, instituído em 2019, altera o modelo de financiamento da saúde dos municípios. O objetivo é fazer com que o país tenha maior foco nos serviços de atendimento primário, como em ações odontológicas, de saúde mental, tratamento de algumas doenças, além do atendimento e acompanhamento pré-natal e ao recém-nascido, por exemplo.  

O programa também atribuiu notas para as cidades brasileiras. Das 5.570 avaliadas, apenas 225 tiveram desempenho acima de 7 – entre elas Castro. “Nós atribuímos os nossos resultados à reestruturação física das unidades básicas de saúde, que vai desde a adequação estrutural, equipamentos, até profissionais, ao investimento na capacitação e na digitalização do atendimento”, diz Maria Lídia Kravutschke.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.