900 a 1.000 pessoas se dedicam aos preparativos – Agroleite gera empregos diretos e indiretos antes, durante e depois do evento

900 a 1.000 pessoas se dedicam aos preparativos – Agroleite gera empregos diretos e indiretos antes, durante e depois do evento

Luana Dias

O Agroleite, maior evento técnico realizado em Castro e que só na última edição gerou R$ 78 milhões em negócios, é também um grande balcão para a geração de empregos, fixos, temporários, diretos e indiretos. Por exemplo, de acordo com a gerente da feira e da Cidade do Leite, Leila Gomes, só a montagem das estruturas que fazem parte do evento leva em torno de 100 dias e envolve cerca de 50 montadoras de diversas regiões do Brasil. Só para esse setor são necessários em média 600 profissionais, que se dedicam à montagem dos estandes, construção de cenários e ambientação dos estandes. “Ou seja, esse é um dos setores que mais movimenta e mais necessita de mão de obra antes, durante e depois do evento”, destaca.

A reportagem conversou com profissionais de uma das montadoras que presta serviços no evento. A empresa é de Ponta Grossa e para atender à demanda desta edição, contratou mais quatro pessoas, além da equipe já formada. Isso porque, a montadora está trabalhando em mais de um evento ao mesmo tempo, e necessita de pessoas que ajudem os colaboradores na manutenção de materiais usados para montar estandes.

O pós-evento gera demanda menor, mesmo assim, a desmontagem dos estandes e demais estruturas também gera postos de trabalho temporários. “Ao encerrar a semana do Agroleite essas montadoras também são responsáveis pela desmontagem e aí o fluxo de serviços é mais rápido, em média em 20 dias o ambiente já está vazio novamente à espera da próxima edição do evento ou de outros eventos que o Parque realiza”, ressalta Leila.

Além destes profissionais, o evento também gera emprego para trabalhadores dos setores de paisagismo, comunicação visual, alimentação e hospedagem em geral, segurança, limpeza, assistência e serviços gerais – que ocupam grande quantidade de mão de obra local – sonorização, telecomunicação, entre outros, além dos trabalhadores específicos, contratados para o trato e cuido dos mais de 500 animais que passam pela feira. “Empresas de toda a região dos Campos Gerais prestam assessoria para expositores do Agroleite. Reunindo todo esse público em média nós temos nesse período cerca de 900 a 1.000 pessoas dedicadas aos preparativos do evento, na verdade, é um grande shopping do agro a céu aberto”, destacou a gerente.

Entre o grupo que compõe o staff do Agroleite estão profissionais contratados pelo empresário Eloy Ferreira, que reforçou sua equipe para trabalhar na feira. “Para atender a alta demanda de colaboradores durante o Agroleite contratamos um expressivo número de profissionais. Nesse ano foram pelo menos mais 20 pessoas, por um período de sete a 10 dias”, destaca ele.

Eloy explicou que mesmo aumentando a equipe para o evento, ele acaba transferindo alguns clientes para outros restaurantes, que também atendem ao público da feira, além disso, as negociações começam antecipadamente, e envolvem pessoas que trabalham com logística, estruturas e diferentes fornecedores. “Muitas vezes são requisitados pessoas de outras cidades também”, finaliza o empresário.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.