UEPG lamenta falecimento de Fernando Durante

UEPG lamenta falecimento de Fernando Durante

Da Assessoria

É com pesar que a Universidade Estadual de Ponta Grossa anuncia o falecimento do publicitário Fernando Durante. Ator, diretor de teatro, locutor de rádio, apresentador de TV, narrador de corridas de cavalos, comentarista esportivo, produtor cultural, empresário: a vida de Durante foi dedicada à cultura e à comunicação. Ocupava os cargos de presidente da Fundação Municipal de Cultura, da Funepo/TV Educativa, do Conselho Municipal de Patrimônio Cultural (Compac) e do Conselho Municipal de Política Cultural, além de representar a macrorregião dos Campos Gerais no Conselho Estadual de Cultura. Desde dezembro de 2020, Durante ocupava uma cadeira no Conselho Universitário da UEPG, na representação da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa.

“Não deu. Nosso exemplo de luta, otimismo, alegria, cansou. Lutou tudo que pôde. Venceu batalhas inimagináveis. Mas cansou. Ele não merecia sofrer tanto. E hoje ele foi. Foi para uma vida que só tem alegria, só tem coisas boas e, com certeza, jogo do Palmeiras com ele ganhando todo dia!”, anunciou a filha, Marina Durante, nas redes sociais, na manhã desta terça-feira.

Um dos legados de Durante que perduram é o Festival Universitário da Canção (FUC), do qual foi um dos criadores, em 1980. “Eu vi este Festival nascer. Sou muito grato porque eu estava no DCE quando organizamos a primeira edição. Acompanhei quando, na oitava edição, a Universidade assumiu este festival, que é um dos focos de resistência cultural da música popular brasileira”, declarou, emocionado, na última edição presencial do FUC, em 2019. No Festival Nacional de Teatro (Fenata), participou como ator, diretor, organizador e plateia. Foi o único ponta-grossense a receber os prêmios de Melhor Ator (1978) e Melhor Espetáculo Infantil (1981). Seu legado na área da Cultura continua por meio das milhares de pessoas alcançadas pelos festivais.

O reitor da UEPG, professor Miguel Sanches Neto, enfatiza que Fernando Durante se confunde com a história do Fenata e do FUC, os dois maiores eventos culturais dos Campos Gerais, nascidos dentro da UEPG e que ganharam projeção nacional. “Desde o início foi um entusiasta destes festivais e se doou a eles de corpo e alma. Embora tenha exercido inúmeras outras atividades como publicitário e como gestor de cultura, a lembrança que guardarei dele será sempre no palco do Fenata, apresentando com sua voz poderosa e com sua agilidade intelectual mais uma edição. A cultura ponta-grossense e a UEPG estão de luto”.

“Amigo é para se guardar dentro do peito”. Em julho de 1976, se conheciam Antonio José Camargo e Fernando Durante. “Estávamos com nossos vinte anos quase completos, ambos calouros de Engenharia Civil. Carecas felizes. Descobri que meu amigo era Palmeirense e formamos uma dupla imbatível no pebolim”, lembrou Camargo, que hoje é professor da UEPG. O amigo relembra os tempos em que juntos participaram do Diretório Central de Estudantes (DCE) e a participação no Fenata de 1979. “O Fenata naquele ano foi bem tumultuado, pois não queriam deixar o DCE participar. Depois de muita discussão, o DCE entrou com a peça “A cara do povo do jeito que ela é” e, para surpresa de todos, Fernando com uma grande atuação ganhou o prêmio de melhor ator”.

“Em tempos tão sombrios, em que falar de política não era fácil, construímos o FUC. Toda a diretoria do DCE aprovou a ideia de Fernando Durante, Adriano Pilati, Walter Kloth, Arrildo, Juca e outros”, lembra Camargo. “Desde esse dia não deixei de acompanhar os FUCs e Fenatas e sempre quando entrava no teatro, quer da reitoria ou do Cine Ópera, lá estava o apresentador, Fernando. Jamais deixou de me saudar como uma das pessoas que iniciou o evento. Sempre acompanhávamos como se fosse o primeiro”.

A  luta de ambos, segundo Camargo, era por ver a UEPG cada vez melhor e mais reconhecida como casa da Ciência e da Cultura. “De onde estiver, amigo, continue olhando pelo teatro, pela música e por nossa aldeia, pois por aqui vai ser difícil novamente ver a cortina se abrir novamente”, lamenta.

“Fernando era um amigo muito querido, conselheiro e trazia na sua presença adorável o conhecimento da cultura de Ponta Grossa. Sabia e conhecia as necessidades da nossa cidade”, enaltece a diretora de Cultura da Proex-UEPG, Sandra Borsoi. “Ele era a história viva do Fenata e do Fuc. Contribuiu sempre positivamente com nossos eventos. Hoje partiu para um plano superior, vai deixar saudades do seu riso fácil e alegria ao subir nos palcos do Fenata”.

Fernando Durante era conhecido pela gentileza e carinho com que tratava os amigos. “Estamos vivendo um momento diferente de tudo o que já passamos e, por isso, mais do que nunca, a amizade, a oração, a fé têm que estar presentes nestas horas! Que você possa ser mais feliz a cada dia, vivendo em plenitude, desfrutando dos bons filmes, ouvindo belas canções, assistindo grandes espetáculos, pois somente assim a vida estará sendo bem aproveitada”, enviava Fernando, em mensagens de aniversário, durante a pandemia. E foi uma vida bem aproveitada!

Fecham-se as cortinas. Nossos aplausos!

Texto: Aline Jasper | Foto: Luciane Navarro

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.