Lideranças do cooperativismo do Pará visitam Sistema Ocepar e cooperativas paranaenses

Lideranças do cooperativismo do Pará visitam Sistema Ocepar e cooperativas paranaenses

Da Assessoria
Comitiva de lideranças do cooperativismo do estado do Pará esteve visitando o Sistema Ocepar na quinta-feira (02), em Curitiba. O grupo é formado pelo presidente da Organização das Cooperativas do Pará (OCB/PA), Ernandes Raiol; pelo superintendente Júnior Serra; pelo deputado estadual Fábio Freitas, que preside a comissão de Agricultura, Terras, Indústria, Comércio e Serviços da Assembleia Legislativa do estado; pela diretora de cooperativismo da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Ticianny Santos; entre outros profissionais da Organização Estadual paraense e do Sescoop Pará.

Representatividade

“Essa visita para nós tem uma importância tremenda. Viemos aqui beber dessa fonte que o Paraná tem no desenvolvimento de pessoas do cooperativismo, dos negócios das agroindústrias e desse avanço no processo político. As cooperativas do Paraná têm 15 deputados que as representam no Legislativo. Nós temos apenas um dos 41 deputados eleitos no Pará”, destacou Raiol. Segundo ele, a expectativa é que a equipe que compõe a comitiva possa entender o trabalho que está sendo feito no Paraná, ver o que está sendo bom, o que está dando certo e levar para o Pará para que lá também seja possível avançar nessas áreas.

Proteína animal

Nesta sexta-feira (3) o grupo se desloca aos municípios de Palmeira e de Carambeí onde visitará as cooperativas Witmarsum e Frísia, para conhecer o processo de industrialização e de intercooperação que elas desenvolvem. Raiol informou que a OCB Pará tem interesse em investir na industrialização de proteína animal, especialmente com animais de pequeno porte. “Temos apenas três ou quatro agroindústrias no Pará, mas nenhuma delas atua com animais de ciclo curto. Por isso, apesar de termos rios e muitos peixes, comemos a tilápia produzida pelas cooperativas do Paraná”, contou.

Abatedouros

“Viemos aqui buscar este aprendizado para que possamos desenvolver esse processo já que nosso projeto futuro é instalar, no Pará, até final de 2025, cinco plantas de abatedouros de pequenos animais com frigorífico”, explicou o presidente da OCB Pará, acrescentando que as cooperativas do estado perdem entre R$ 20 e R$ 25 milhões por ano para não ter como vender a proteína para o Exército, Marinha, Aeronáutica e hospitais públicos, por exemplo. “Isso falando apenas das compras institucionais”, frisou.

Potencial

O grupo foi recebido pelo presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, pelo diretor-secretário Luiz Roberto Baggio e pelos superintendentes da Ocepar, Robson Mafioletti, do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, e da Fecoopar, Nelson Costa. “Temos muito a aprender também com as cooperativas do Pará”, disse Ricken, acrescentando que “o estado do norte do Brasil tem muito potencial na área do cooperativismo e é possível estabelecer uma interação e compartilhar experiências”.

Planejamento

Na apresentação feita à comitiva, o presidente do Sistema Ocepar destacou a importância do planejamento. Ricken frisou que desde o início da história da organização o planejamento está presente. E graças as ações planejadas, a meta de faturamento do último ciclo do PRC200, o planejamento estratégico das cooperativas paranaenses, foi atingida três anos antes do previsto. “Alcançamos o faturamento de R$ 200 bilhões no final de 2023 e agora seguimos para um novo ciclo”, disse.

Intercooperação

Ricken destacou, também, os projetos de intercooperação desenvolvidos pelo cooperativismo paranaense, como exemplo de compartilhamento de estrutura e resultado. Um deles, que resultou na Maltaria Campos Gerais, formado pelas cooperativas Agrária, Frísia, Castrolanda, Capal, Bom Jesus e Coopagrícola, será conhecido pelo grupo na viagem desta sexta-feira.

Educação Política

A coordenadora de Relações Institucionais da Ocepar, Daniely Andressa da Silva, apresentou ao grupo o programa de Educação Política por meio do qual a organização busca uma aproximação com o Legislativo. “Esse trabalho resultou na eleição de 15 deputados federais e 4 estaduais alinhados com o cooperativismo”, destacou Ricken. Na parte da tarde desta quinta-feira, o grupo manteve agenda com o vice-governador do Paraná, Darci Piana.

Números

A OCB Pará representa 233 cooperativas de sete ramos. São 80 agropecuárias; 70 de trabalho, produção de bens e serviços; 62 de transporte; 8 de crédito; 7 de saúde; 4 de consumo e 2 de infraestrutura. As cooperativas agropecuárias exportam para nove países: Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, França, Japão, Coreia do Sul, Argentina, Guiana Francesa e Suriname. Entre os principais produtos exportados estão cacau e artesanato.

Redação Página 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.
× Fale com o P1 News!