Vítimas da chacina de Piraí são identificadas; polícia investiga ordem cronológica e motivo da barbárie

Vítimas da chacina de Piraí são identificadas; polícia investiga ordem cronológica e motivo da barbárie

Na imagem, Suzemara de Assis Martins, de 41 anos e Allehandro de Assis Martins, de 18 anos

Matheus de Lara

Piraí do Sul – Foram identificadas pelas autoridades policiais, as vítimas da chacina que ocorreu às 5h30 desta quarta-feira (13), em Piraí do Sul. A barbárie aconteceu próximo a uma linha férrea, na localidade do Jardim Benevuto Antunes Dalcol. O massacre vitimou quatro pessoas, feriu uma gestante e depois o autor tirou a própria vida.

Allehandro de Assis Martins, de 18 anos, foi quem cometeu as execuções. Ele matou a mãe Suzemara de Assis Martins, de 41 anos; Romualdo José Rodrigues, de 48 anos; Elisângela Alves de Oliveira, de 42 anos, e Edson de Lima, de 24 anos. Em meio aos disparos, uma adolescente de 16 anos, grávida de sete meses, também foi baleada, quando foi verificar o que estava acontecendo.

A gestante precisou ser transferida do Hospital Municipal Santo Antônio, em Piraí do Sul, para o Hospital Universitário (HU-UEPG), em Ponta Grossa, para avaliações, após a adolescente levar um tiro na região da clavícula. No início desta tarde, ela se encontrava com o seu quadro estável, sem ser necessária a realização de uma cesária.

Motivo e investigações

A reportagem do Página Um News conversou com o delegado de Piraí do Sul, Jairo Luiz Duarte de Camargo, para saber o motivo e a linha das investigações da chacina. Segundo o delegado “o autor já era conhecido no meio policial, além de ser investigado em um crime de homicídio”.

Como a investigação ainda está em andamento, para entender a ordem cronológica das execuções, o delegado repassou alguns pontos principais das vítimas. “Os crimes, a polícia ainda está entendendo e tentando identificar como foi a dinâmica de tudo, para saber quem foi a primeira e a última vítima, e em especial a motivação desse crime. Muitas dessas vítimas, poderiam ter passado pelo autor na rua e acabou morrendo. Tem vítima que possivelmente pode ter demonstrado em uma situação anterior alguma desavença, mas em outras não”, disse Jairo.

O delegado também apontou que “a mulher dona de um bar, que ele matou e que ainda não foi confirmada se foi a primeira vítima, era mãe de uma conhecida do atirador. Em relação aos outros, um homem foi morto na rua, enquanto estava indo para o trabalho, próximo a um ponto de ônibus. Outro homem estava em uma residência nas proximidades da casa do autor”, explica Jairo.

Depois que Allehandro matou sua mãe em sua residência, ao observar a chegada da Polícia Militar o autor da chacina se matou com um tiro na linha férrea.

Em relação ao número de tiros que as vítimas levaram, Jairo explicou que só após o laudo da necropsia, do Instituto Médico Legal (IML), de Ponta Grossa, será possível saber, mas disse, a princípio, que os disparos foram direcionados para a região da cabeça. Já a arma de fogo utilizada pelo atirador foi um revólver calibre 38.

Sepultamentos

As vítimas, Elisangela – proprietária do bar e que deixa quatro filhos -, o trabalhador rural Edson – natural de Irati -, a mãe do autor dos disparos, Suzemara, e Allehandro, já tiveram os corpos liberados para os sepultamentos. Os enterros acontecem na manhã desta quinta-feira (14).

Foto 1: Redes Sociais; Fotos 2 e 3: Divulgação / Stive Notícias

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.