Paciente morto ao cair de 3º andar de UTI intriga

Paciente morto ao cair de 3º andar de UTI intriga

Proteção de janela teria sido rompida

Sandro A. Carrilho

Ponta Grossa – Dois dias após a morte de paciente por queda do terceiro andar da ala da Unidade de Terapia Intensiva – UTI da Santa Casa de Ponta Grossa, fica a pergunta: Como ele acordou do coma induzido, levantou-se do leito, abriu a janela, rompeu uma proteção, lançou-se de uma altura de 12 metros, e ninguém viu ou ouviu nada?

Essas são apenas algumas das perguntas que a polícia civil de Ponta Grossa irá fazer no decorrer das investigações, para esclarecer a morte de Alexandreson Delfino Farias, de 33 anos, no sábado (11).

Natural de Telêmaco Borba, o paciente morava em Sapopema e foi internado no Hospital Santa Casa para procedimento cirúrgico ainda pela manhã, ficando em coma induzido, procedimento normal nesses casos.

A questão que se levanta é que por algum motivo, no início da tarde de sábado, após acordar, teria ido até a janela, rompido uma proteção e se lançado do terceiro andar. Normalmente quando pacientes acordam, eles continuam sob o efeito do procedimento cirúrgico.

O local que Alexandreson caiu foi no interior do hospital, provavelmente um pátio, por isso não houve registro de imagem. O que intriga é que a UTI oferece cuidados intensivos, motivo pelo qual sempre há profissionais 24 horas. No horário que ocorreu a queda, em torno das 14 horas, pelo menos meia-dúzia de enfermeiros estariam trabalhando, ou deveriam estar.

Pelo histórico da Santa Casa, o hospital também deverá apurar o caso internamente e punir exemplarmente.

O corpo de Alexandreson Delfino Farias foi sepultado na tarde de domingo em Sapopema. Ele deixa esposa e filho de oito anos.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.