ENTREVISTA: Após 25 anos de trabalho, delegado Marcus Vinicius Sebastião deixa Polícia Civil

ENTREVISTA: Após 25 anos de trabalho, delegado Marcus Vinicius Sebastião deixa Polícia Civil

Luana Dias

Depois de ter prestado serviços a segurança pública do Estado por 25 anos, o delegado Marcus Vinicius Sebastião anunciou aposentadoria e deixou a Polícia Civil, na manhã desta segunda-feira (16). A imprensa da região foi informada pelo próprio delegado, que por meio de mensagem relatou que estaria ingressando em uma nova jornada.

Nascido em Ponta Grossa e formado em Direito pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Marcus Vinicius chegou a atuar por alguns anos como advogado, na área trabalhista, e ingressou na Polícia Civil no ano de 1996, após ser aprovado em concurso público. Sua nomeação como delegado ocorreu em 1997. “Sou de uma família que se dedica à segurança pública, e que sempre trabalhou na Polícia Civil do Paraná, a começar pelo meu pai que foi investigador por mais de 30 anos”, conta Marcus, relatando ainda que a esposa também é aposentada da Polícia Civil, depois de ter prestado anos de trabalho como papiloscopista policial, e que também tem irmãos que ainda trabalham na instituição.

Só na Delegacia de Carambeí Marcus atuou por mais de 20 anos como titular, além de integrar por quase 20 anos o 2º Distrito Policial de Ponta Grossa. Ao longo do tempo de carreira, passou por diversas delegacias da região, incluindo a cidade de Castro, onde trabalhou temporariamente, em diferentes fases. “Tive a oportunidade de passar por praticamente todas as cidades dos Campos Gerais, foram vários momentos e diferentes situações de enfrentamento ao crime, muitas dificuldades, mas também muitas parcerias”, destacou.

Ao falar da aposentadoria e da nova fase, Marcos Vinicius afirmou que tem alguns projetos em mente, porém, antes de investir em qualquer um deles, quer descansar e recompor as energias. “Acredito que a nossa vida é feita de ciclos, e eu já vinha desacelerando para encerrar esse ciclo. Conclui que essa foi a hora certa para deixar a Polícia Civil, até mesmo para dar oportunidade para que a equipe se renove, os novos colegas eu tenho certeza que irão prestar um serviço de grande qualidade, e eu agora devo ficar um tempo me recompondo, afinal foram vários anos e é uma trajetória árdua. O direito seria um dos possíveis caminhos, e eu também tenho alguns outros projetos para a área da segurança pública, mas agora com outra visão, de qualquer forma, ainda não quero tomar nenhuma decisão, antes de mais nada, quero descansar e planejar os próximos passos juntamente com a minha família”, explicou.

Durante entrevista ao P1News, o delegado também registrou agradecimentos, e fez questão de citar as parcerias, que segundo ele foram muito importantes para o êxito de seu trabalho ao longo das mais de duas décadas. “Não poderia deixar de agradecer, primeiramente a minha família, meu pai que já faleceu em 2019, mas que foi meu primeiro professor e tanto me ensinou sobre segurança pública, e à minha esposa e demais familiares, afinal, acabamos tendo que subtrair muito da convivência com a família para poder se dedicar a esse trabalho. Agradecer também o apoio e trabalho de toda equipe, de todo pessoal com quem trabalhei ao longo desses anos, eles foram verdadeiros heróis, e eu nunca me coloquei na situação de fazer nada sozinho, sempre foi em equipe, e éramos um equipe forte. Quero destacar e agradecer, sem citar nomes, o trabalho de todos os policiais com os quais eu tive a honra de trabalhar, os delegados das cidades por onde passei, as demais forças de segurança, o apoio que recebei da Polícia Militar de Carambeí, de Castro de Ponta Grossa e de outras cidades, todos os comandos foram primordiais, além das outras instituições, enfim, quero agradecer a todo pessoal que cruzou minha caminhada em todos esses anos, e, agradecer também o papel da imprensa dos Campos Gerais, profissionais com quem também tive o prazer de trabalhar. Sempre se fizeram presente e atuaram de forma justa até mesmo nos momentos em que foram feitas as cobranças, e sempre levaram em tempo real para a sociedade informações sobre o trabalho que estávamos desempenhando”, ressaltou.

Por fim, Marcus Vinicius destacou a mensagem que gostaria de deixar para a nova geração de profissionais e servidores da segurança pública da região e Estado. “Quando você entra numa instituição de segurança pública, você tem que se superar. Não é uma missão fácil, e assim como a saúde e a educação, por exemplo, é uma área essencial e que demanda atenção, mas o profissional dessa área tem que se superar sempre, ter força de vontade e entender a importância que essa função tem para a sociedade. Também quero deixar uma palavra de esperança, de que esses profissionais tenham uma estrutura adequada para trabalhar, e que mesmo não tendo toda a estrutura, possam dar o melhor de si, porque não há fórmula mágica, é preciso procurar a solução e não focar nos problemas”, finalizou o delegado.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.