Encontrado corpo queimado em área rural de Castro

Encontrado corpo queimado em área rural de Castro

Sandro Adriano Carrilho

Desde a noite de ontem (12) investigadores da 43ª DRP, acompanhados de policiais militares, buscavam o corpo de Valdeci Gomes, 42 anos. Ele foi morto a tiro ainda na terça-feira (11), a princípio após uma discussão, entre às 23 horas e uma hora da madrugada de quarta-feira, em sua casa, centro de Castro. A ação praticada por um jovem de 18 anos teria participação de uma segunda pessoa que ajudou a colocar o corpo na caminhonete da vítima, durante a madrugada, para desová-lo em São Luiz dos Machados, área rural do município.

Em entrevista exclusiva ao Página Um News, o delegado de polícia da 43ª DRP, Lucas Mariano Mendes, disse que foi procurado pelo policial militar Pinheiro, que informava que o homem, mais tarde identificado como Valdeci Gomes, poderia ter sido sequestrado, devido aos cinco pix realizados entre 17 e 18 horas de quarta-feira, além da movimentação do cartão de crédito da vítima.

Delegado Lucas cogitou acionar o Grupo Tigre, especialista nesse tipo de crime, o que foi descartado na sequência dos fatos.
Antes disso, entre 11 horas e meio-dia, o principal suspeito levou a caminhonete em um lava car e posteriormente em uma revenda de automóveis, onde foi interpelado pelo proprietário que perguntou sobre o paradeiro de Valdeci. Irmão da vítima também questionou o rapaz. Já na casa da vítima, na presença de familiares e do delegado de polícia, esse mesmo jovem chegou a apresentar três versões, duas que não batiam, e a terceira a qual confessava ter matado, isso após pressão da mãe para que falasse a verdade.

Diante da confissão, o rapaz que era muito próximo da família da vítima, recebeu voz de prisão e foi levado para a delegacia de polícia. Lá, ele disse onde estaria o corpo, mais tarde encontrado parcialmente queimado. O local seria uma fazenda do avô do seu comparsa.
Para o delegado, o jovem confesso deverá responder por homicídio e ocultação de cadáver e o cúmplice que o ajudou, por crime de ocultação de cadáver.

Até o momento não se sabe o que motivou o crime.
Quanto a arma usada, o rapaz dissera se tratar de um revólver 38, já a arma encontrada foi uma pistola 380. Delegado também descreve que o local foi todo limpo, assim como a arma que não apresentava vestígio aparente.

Outras informações a qualquer momento.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.