BARBÁRIE: Policial Militar mata seis familiares, outras duas pessoas e tira sua própria vida no Paraná

BARBÁRIE: Policial Militar mata seis familiares, outras duas pessoas e tira sua própria vida no Paraná

Matheus de Lara*

Depois da chacina em Piraí do Sul que vitimou quatro pessoas, feriu uma gestante que sobreviveu após ser baleada, e do atirador que se matou nessa semana, outro massacre aconteceu no Paraná. Foi entre a noite de quinta-feira (14) e a madrugada desta sexta-feira (15), nas cidades de Toledo e Céu Azul.

O policial militar Fabiano Júnior Garcia, de 37 anos, que trabalhava no 19° Batalhão da PM de Toledo, matou a esposa, dois filhos, uma enteada, a mãe, o irmão e duas pessoas que passavam pela rua, e em seguida tirou sua própria vida. A motivação da barbárie está sendo investigada, mas um áudio que circulou por grupos de Whatsapp, suspeita que o policial estaria inconformado com o fim do seu relacionamento.

As vítimas foram identificadas como, Kassiele Moreira Mendes Garcia (esposa), de 28 anos; Miguel Augusto da Silva Garcia (filho), de 4 anos; Kamili Rafaela da Silva Garcia (filha), de 9 anos; Amanda Mendes Garcia (enteada), de 12 anos; Irene Garcia (mãe), de 78 anos; Claudiomiro Garcia (irmão), de 50 anos; Kaio Felipe Siqueira da Silva, de 17 anos e Luiz Carlos Becker, de 19 anos.

Conforme Polícia Militar, Fabiano matou a esposa e a enteada de 12 anos, em Toledo. Depois, foi até a casa da mãe onde a matou com facadas, e o irmão com disparos de arma de fogo. Em seguida, a suspeita é que ele tenha se dirigido para a cidade de Céu Azul, onde matou os dois filhos. Enquanto, o policial retornava para Toledo, ele tirou a vida de dois jovens que passavam pela rua.

Consternada, a Polícia Militar divulgou nota.

“A Polícia Militar está consternada e lamenta profundamente o ocorrido nas cidades de Toledo-PR e Céu Azul-PR. O policial militar que prestava serviços no 19º Batalhão em Toledo não tinha histórico de problemas psicológicos e atuava como motorista do Coordenador do Policiamento da Unidade.

Desde dezembro de 2020 a região conta com o apoio do programa PRUMOS, que disponibiliza atendimento psicológico aos militares, com profissionais contratados para atuar nas Organizações Policiais Militares.”

*Com informações G1

Foto: Divulgação / Redes Sociais

Redação Página 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.