Deputada Aline Sleutjes se posiciona contra o fechamento de comércio

Deputada Aline Sleutjes se posiciona contra o fechamento de comércio

Da Assessoria

Brasília – A decisão de vários governadores e prefeitos pelo Brasil afora de fechar comércios, toque de recolher e decretar lockdown, tem causado a ira de muitas pessoas. A parlamentar paranaense Aline Sleutjes, uma das mais respeitadas do Congresso Nacional, tem se posicionado enfaticamente contra o fechamento do comércio. “A própria OMS já disse que lockdown serve apenas para deixar o pobre mais pobre e não funciona como solução da Covid-19”, afirmou.

A parlamentar lembrou que os males para a economia já estão sentidos. “O que está acontecendo é que governadores e prefeitos por não terem feito a lição de casa, equipado seus postos, UPAs e hospitais, não terem criado políticas públicas para o tratamento profilático e imediato, viram aumentar os casos, gerando um caos nos hospitais pela falta de vaga de UTIs que vale lembrar, sempre existiu, e tomaram atitudes absurdas e restritivas como se isso fosse solução. O efeito destas atitudes, fechamento de comércio, toque de recolher, retirada do transporte público, fechamento e destruição de milhares de empresas e empregos está sendo sentido fortemente na economia, prejudicando o nosso país”, enfatizou a parlamentar.

De acordo com números projetados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), entre agosto de 2020 e fevereiro de 2021, cerca de 17,7 milhões de pessoas voltaram à pobreza.

Segundo a deputada federal, a situação é extremamente crítica. “Nosso presidente Bolsonaro falou desde o início que tínhamos duas preocupações: a vida da nossa população e o emprego dos brasileiros. Não vimos eficácia em parar o país, fechando todos os negócios. O dano à economia está sendo devastador, houve um aumento de 20% nos suicídios, ocorreu um alto número de pessoas que desenvolveram quadro de depressão, algo em torno de 40%, o aumento de violência doméstica também cresceu 40%, os abusos contra crianças cresceram até 12 vezes na pandemia, com um aumento que chegou em 32% de 2019 para cá, a perda educacional também, como sou professora de formação sempre bato nessa tecla, segundo estudos nosso país pode perder até 4 anos de aprendizagem na educação básica em 2020 devido o fechamento das escolas, lugar que jamais deveria ter sido fechado. Também falo dos decretos do que é ou não essencial, quem destes prefeitos e governadores pode afirmar o que é serviço essencial? Tudo é essencial. Essencial é manter a família alimentada e estrutura”, disse.

Para Aline, o Governo Federal tomou todas as medidas necessárias para conter a pandemia, ampliando, por exemplo, por meio do Ministério da Saúde, mais de 20 mil leitos para Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), repassando mais de 420 bilhões de reais para estados e municípios, defendendo empregos, a vida e principalmente a liberdade da população.

“Devido a decisão do Supremo Tribunal Federal em abril de 2020 que tirou o poder do presidente Bolsonaro de interferir em decisões de estados e municípios sobre o coronavírus, ficamos reféns de prefeitos e governadores que decidiram utilizar das piores armas para combater a Covid-19, a ignorância, negacionismo e radicalismo. Precisamos lembrar que esta doença não irá embora, como todas as outras, precisamos aprender a conviver e nos adaptarmos com algumas mudanças no estilo de vida em que vivíamos. Como diz meu pai, não podemos matar a vaca para tirar o berne, exemplo simples e correto, precisamos de atitudes coerentes, efetivação de tratamento e apoio aos nossos empresários, autônomos, agricultores para que esta doença não acabe com nossa economia, pois emprego também é vida”, finalizou a parlamentar.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.