Deputada Aline realiza live ‘De Olho no Material’ que busca trazer a verdade sobre o Agro nos livros didáticos das escolas

Deputada Aline realiza live ‘De Olho no Material’ que busca trazer a verdade sobre o Agro nos livros didáticos das escolas

Da Assessoria

A deputada federal castrense Aline Sleutjes realizou neste sábado (17) uma grande live com as idealizadoras do projeto ‘De olho no material escolar’, Leticia Jacintho e Andreia Bernabé. O grupo tem como objetivo principal a revisão do material didático, corrigindo a forma como o agro é retratado. Este trabalho visa enriquecer livros didáticos, auxiliar professores e alunos com informações reais sobre o setor. Atualmente o movimento é formado por mais de 2.800 mães e pais de diversos estados.

O movimento @deolhonomaterialescolar se alicerça em relatos de produtores rurais e de profissionais do agro oriundos de vários setores do agronegócio. Suas ações básicas têm sido: reuniões locais nas escolas dos municípios, para sugerir a atualização e correção no enfoque das aulas; visitas de professores e dirigentes às fazendas, para que eles conheçam de perto a realidade da moderna produção rural; conversas entre entidades do agro com CEOs de grupos educacionais sobre a revisão do material didático.

Atualmente, encontra-se nos livros didáticos dos alunos desde a educação infantil até o ensino médio, inconcebível viés ideológico em textos relacionados ao agro, reforma agrária, desmatamento, trabalho rural, induzindo os alunos a acreditarem que os agricultores sejam “opressores dos pobres do campo”. Muito pelo contrário, o Agro é aliado da natureza, gerador de emprego e renda e responsável por levar a comida do campo para a mesa da população brasileira e mundial.

A deputada federal Aline Sleutjes, que também é presidente da Comissão de Agricultura da Câmara, afirmou que informação e a instrução dos professores é primordial para o aprendizado dos alunos em sala de aula. “A falta de conhecimento do que é o setor, de como ele vive, e como nós dependemos dele exclusivamente é inadmissível. Os professores quando recebem seus materiais pedagógicos, não são obrigados a utilizarem esse tipo de material ideológico, que afeta e critica diretamente o setor mais importante do nosso país, que além de manter a nossa segurança alimentar, exporta para 160 países”, disse.

Andréia Bernabé, uma das idealizadoras do grupo, pontuou que a intenção do grupo é trazer a verdadeira face do agro revisando materiais defasados. “Pontuamos exatamente a questão do conteúdo, desde as séries iniciais até a universidade, queremos que seja feita uma alteração baseada em fatos e dados reais com a inserção de entidades, órgãos oficiais, a exemplo da Embrapa, para poder contrapor esse conteúdo. A nossa intenção é de que essa revisão nos materiais didáticos traga um contexto atual do setor, com as tecnologias e avanços que o país conquistou. O agro brasileiro evoluiu muito e precisa ser retratado de maneira correta desde as primeiras séries até o ensino mais avançado”, destacou.

“O desenvolvimento da agropecuária brasileira hoje representa fonte de renda para milhares de produtores e trabalhadores rurais, além de alimentar e vestir grande parte da população mundial. O conhecimento nos faz melhores”, pontuou Leticia Jacintho, coordenadora do movimento.

A articulação e o conhecimento da deputada Aline foram primordiais para o grupo conseguir tratar diretamente do assunto com o Ministério da Educação e suas secretarias. Além disso, o movimento também está em tratativas com grupos de redes de escolas particulares para que o mesmo trabalho de adequação em livros e apostilas seja feito.

“Como presidente da comissão de Agricultura, sou defensora do agro e apoio esta iniciativa e outras que venham beneficiar este setor tão importante para a economia do nosso país”, ressaltou a deputada do agro, Aline Sleutjes.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.