Micro e pequenas empresas geram mais de 74% dos empregos no Paraná, neste ano

Micro e pequenas empresas geram mais de 74% dos empregos no Paraná, neste ano

Levantamento do Sebrae feito com base em dados do Caged indica, ainda, que outubro foi o segundo melhor mês do ano, no Estado

Mais uma vez, as micro e pequenas empresas se destacaram no quesito “geração de empregos”, no Paraná. De acordo com estudo do Sebrae, feito com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), as MPE paranaenses contrataram 8.880 pessoas durante o mês de outubro. O aumento, de cerca de 2% em relação ao mês de setembro, totaliza, em todo o ano, 85.879 vagas geradas por MPE (dos 11.073 postos gerados no total, por todos os portes).

Os dados, segundo o consultor do Sebrae/PR, Rubens Palma, são importantes para o Estado, principalmente porque, quando se aumentam as vagas de emprego, outros fatores também apresentam crescimento.

“O aumento das vagas de emprego é fundamental para o crescimento da economia do Estado, pois o emprego gera renda, estimula o consumo, aquece o mercado, além de contribuir para a redução da desigualdade”, aponta.

As MPE têm impacto direto na geração de empregos e, quando analisados os números disponibilizados pelo Caged, de janeiro a outubro de 2023, apontam que foram responsáveis por 74,63% dos novos postos de trabalho.

No total, entre janeiro e outubro deste ano, as MPE geraram 85.879 postos e as médias e grandes empresas (MGE), 23.629.

Outros números
O estudo mostra que, além das 8.880 vagas abertas pelas MPE no Paraná em outubro, as MGE também obtiveram destaque, abrindo 5.825 postos de emprego. O número, somado aos postos gerados por entidades sem fins lucrativos (100) e pessoas físicas (193), totaliza 14.945 vagas durante o mês, no Estado – colocando outubro como o segundo melhor ano de 2023, ficando atrás apenas de fevereiro, quando foram geradas 24.106 vagas.

Quanto aos setores que mais geraram emprego, o segmento de serviços se mantém na liderança, com 3.807 vagas geradas por MPE em outubro. Na sequência, aparecem o comércio (2.596) e a indústria da transformação (1.686).

Em relação à Classificação Nacional de Atividade Econômica (CNAE), os três que mais geraram postos entre micro e pequenas empresas foram: transporte rodoviário de carga (512); serviços combinados de escritório e apoio administrativo (397); e restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas (378).

Dados nacionais
O Brasil alcançou, no último mês de outubro, a marca de 1,78 milhão de novos empregos gerados desde o início do ano. Desse universo, quase 71% foram criados pelas micro e pequenas empresas, o que corresponde a aproximadamente 1,26 milhão de novos postos de trabalho. Já as médias e grandes geraram 372,4 mil vagas, o que equivale a cerca de 21% do total de empregos.

Considerando apenas o mês de outubro, o levantamento do Sebrae mostra que foram criados pouco mais de 190 mil vagas de trabalho. As micro e pequenas empresas contribuíram com 124,1 mil empregos, o que representa 65,2% do saldo líquido de contratações efetuadas. Enquanto as médias e grandes empresas foram responsáveis por 69,8 mil novas vagas, equivalente a 36,7% do saldo.

Para o presidente do Sebrae, Décio Lima, os números mostram, mais uma vez, a força do pequeno negócio e a importância desse segmento para a economia.

“São os empreendedores de pequeno porte que têm sustentado o País. São as pessoas que acordam todas as manhãs e fazem o Brasil se movimentar, distribuindo renda, proporcionando a inclusão social e a transformação das vidas de bairros e municípios, em todas as regiões. Pela primeira vez na história, o Brasil registrou a marca de 100 milhões de pessoas ocupadas. E temos uma das menores taxa de desemprego, de 7,6%”, conclui.

Redação Página 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.
× Fale com o P1 News!