Associação Comercial do Paraná prevê crescimento de 8% nas vendas para o Dia das Mães deste ano

Associação Comercial do Paraná prevê crescimento de 8% nas vendas para o Dia das Mães deste ano

Luana Dias

Depois de comemorar o dia das mães por dois anos seguidos sob as restrições mais rigorosas impostas pela pandemia, consumidores estão ansiosos por ir às lojas e escolher o presente, que neste ano poderá ser entregue pessoalmente. No varejo, o dia das mães costuma ser o responsável por um movimento de vendas que perde apenas para o Natal, e em 2022 esse fluxo tende a ser ainda maior, já que em 2020 e em 2021 muitos filhos não tiveram a oportunidade de celebrar o domingo com a mãe, e por consequência, também não investiram no tradicional presente.

A Associação Comercial do Paraná (ACP) prevê vendas 8% superiores às registradas no ano passado. Mas, o presidente da entidade, Camilo Turmina, alerta que é preciso se preparar para atender a demanda. “A expectativa de vendas para o dia das mães é a melhor possível. Os dois anos anteriores foram de pandemia, com restrição no varejo e as pessoas estavam com medo, tivemos atividades pouco importantes. E este ano, com esse novo normal, todos estarão comemorando, se encontrando, as famílias vão confraternizar, e aí entra o presente, um mimo especial, especialmente de filho para mãe ou de neto para avó. Os comerciantes estão muito animados, porque com essa nova realidade, as pessoas estão saindo mais, o que propícia um comércio presencial muito forte. Mas sem dúvida é preciso se preparar mais, ter disponibilidade de produtos, pessoas adequadas para o atendimento, recompor quadro de funcionários, porque muitos perderam colaboradores nesse período. É preciso tornar o negócio atrativo para esses consumidores, que estão prontos para bater perna, visitar lojas e fazer compras”, destacou o presidente.

Turmina também falou sobre o crescimento das compras feitas pela internet, e frisou sobre a importância de os lojistas se adequarem a essa realidade. De acordo com o presidente da ACP, a nova forma de consumir exige que todos estejam disponíveis no ambiente virtual. “As vendas on-line são uma realidade, se não é um negócio que acontece de imediato, é a primeira pesquisa que todo consumidor faz. Pesquisa preços, condições, e sem dúvida, todo empresário tem que ter pelo menos site, tem que se organizar e disponibilizar seus produtos também na internet. É preciso se comunicar na web, não tem mais como se manter só com a porta aberta. Seus clientes precisam encontrar seus produtos e serviços pela internet, depois disso começam a se interessar, e daí são necessárias as condições ideais para fechar a venda. Esse é o caminho natural nesses tempos de modernidade, tecnologia e inovação em todo mercado de varejo e em todas as atividades econômicas do país”, ressaltou.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.