Paróquia do Rosário recebe fiéis para missas após conclusão da primeira etapa de reformas

Paróquia do Rosário recebe  fiéis para missas após conclusão da primeira etapa de reformas

Luana Dias

Após passar pela primeira fase da reforma, a Igreja Matriz Nossa Senhora do Rosário voltou a receber os fiéis para a celebração das missas, no sábado (24). Para o pároco, frei Osmar de Paulo, o retorno para a igreja, mesmo ainda em obras, é motivo de alegria e de gratidão. “Mesmo ainda não tendo celebrado lá, eu já me sinto muito feliz. Meus colegas que celebraram durante o final de semana disseram que estava muito bonito, que a igreja estava com o máximo de pessoas que pode comportar [devido às restrições impostas pela pandemia] e que a expressão do povo era de felicidade, porque são eles que estão colaborando com esse projeto, e, quem ainda não estava, também se motivou a começar a ajudar. Minha felicidade é justamente porque esse é um sonho de muitas lutas, de quebra de paradigmas, derrubamos muitos pensamentos negativos para começar, e começamos com medo, mas graças a Deus o povo tomou para si esse sonho e estamos conseguindo realiza-lo. Esse trabalho não e para mim, é para a comunidade, é para Deus, e é muito bom ver os paroquianos felizes, com o coração alegre porque colaboraram nesta obra, mesmo que com um pouquinho, porque sabem que o pouco vai somar e muito no final”, destacou o frei.

A Paróquia, que havia recebido a última grande reforma há cerca de 20 anos, vinha enfrentando problemas graves como alagamentos, quando chovia, por exemplo. Agora ganhou forração nova, reforma da estrutura do sino, reforma das capelas de batismo e do Santíssimo, uma nova sala de atendimento, reforma da secretaria e reforma da sala do padre (em andamento). Como os banheiros que ficavam dentro da igreja foram transformados em sala de atendimento, também estão sendo construídos novos banheiros na parte externa da igreja.

“Nós trocamos o telhado, que era simples, por um telhado meio acústico, com 70% de proteção acústica para isolamento da chuva e barulho (telha sanduíche), e o forro, que era de PVC, pelo gesso com drywall. Adequamos e reformamos toda parte de trás das capelas do Santíssimo e do batismo, a parte que não é vista pelo povo, mas as salas que eram em madeira estavam podres, com muito cupim, também foram trocados os pisos, e tirados os banheiros de dentro da igreja, que eram pouco usados, no local fizemos sala nova para atendimento. Também estamos no processo de reforma da secretaria, que vai ficar mais ampla, com portas de vidro e piso novo, assim como a sala do padre, e iniciamos a construção dos banheiros novos lá fora”, descreveu o sacerdote.

Conforme contou o frei à reportagem, o projeto inicial da reforma incluía apenas a troca do telhado, com calhas e forro novos, sobretudo para que a igreja não fosse mais penalizada nos dias de chuva, e, a substituição da parte do fundo do presbitério, que era de madeira e estava sendo destruída por cupins. No entanto, com o início das obras, percebeu-se a necessidade de serem feitas novas reformas e adequações, até para aproveitar a presença dos pedreiros e as intervenções que já tinham sido iniciadas. Com a ampliação das obras, porém, o projeto também ficou bem mais caro para a Paróquia, que conta com a ajuda da comunidade para efetuar todos os pagamentos. “Você faz um orçamento sabendo que ele será modificado, para mais ou para menos, aí tivemos as aberturas das capelas, por exemplo, arrumamos o sino que estava há mais de sete anos parado. Todo mundo falava desse sino e ele nunca mais tinha sido tocado porque a estrutura estava caindo, já aproveitamos os pedreiros e arrumamos, e agora o sino pode ser tocado em todas as missas, com estrutura nova e reforçada. Fizemos bastante coisa que estava fora do orçamento e agora nos resta pagar, porque a obra não está toda paga. Nós fizemos uma prestação de 40 mil reais por mês, que vai até janeiro do ano que vem, tirando as contas fixas”, ressalta frei Osmar.

Segundo ele, a ajuda vinda da comunidade para custear a etapa da reforma da Paróquia já concluída foi fundamental, mas também é muito importante que os fiéis, paroquianos, empresários e comunidade em geral continuem a colaborar, para que a matriz possa quitar a dívida que ainda está aberta. “Peço a ajuda do povo, para que não deixem de doar, colaborem com o dízimo e com o carnê separadamente, que nos ajudará a pagar as parcelas mensais da reforma, colaborem com os eventos, venda de pasteis e outros que temos na igreja. As obras ainda não foram concluídas, mas nós tivemos e teremos sempre a graça de Deus, de receber essa colaboração do povo, que é muito abençoada. Ajuda é bem-vinda de todas as formas, empresários da cidade, paroquianos ou não, qualquer pessoa, se desejar ajudar, basta entrar em contato com a igreja, ligar ou mandar mensagem pelo WhatsApp, fazer um PIX, cuja chave é o CNPJ da matriz, desde a mínima ajuda já é bem-vinda. Se você quer ajudar, mas não tem grande valor em dinheiro, não tem problema, não deixe de doar, ainda que sejam dois reais, por exemplo, doe, desde que seja de coração, assim como, se alguém desejar doar mais, valores bem maiores como mil, vinte ou trinta mil, tudo sempre será bem-vindo, desde que seja de coração”, finaliza.

As doações em dinheiro para a Paróquia podem ser feitas através de PIX, na chave – CNPJ 97.397.673/0001-69 – ou por meio de deposito na corrente: 61856-0, Banco Sicredi, agência: 0730 (mesmo CNPJ).

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.