MST faz ato simbólico de embelezamento no Hospital Cruz Vermelha

MST faz ato simbólico de embelezamento no Hospital Cruz Vermelha

Luana Dias

No sábado (17) integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), dos acampamentos Maria Rosa do Contestado e Padre Roque Zimmermann, de Castro, e Emiliano Zapata, de Ponta Grossa, realizaram ato simbólico de embelezamento no hospital Cruz Vermelha, em Castro. Os voluntários capinaram, e renovaram a pintura dos muros, meio-fio e sinalizações do hospital.

A ação fez parte das mobilizações realizadas anualmente pelo Movimento em memória das vítimas do episódio que ficou conhecido como o Massacre do Eldorado dos Carajás, quando 21 integrantes do MST foram mortos por policiais do Estado do Pará (19 mortos durante um conflito e dois que morreram depois no hospital), em 17 de abril de 1996. A data foi declarada como o Dia Nacional de Luta pela Reforma Agrária. Célio de Meira, integrante da coordenação da comunidade Maria Rosa do Contestado, falou sobre o trabalho voluntário, feito no Hospital, e sobre as atividades que o MST realiza na data.

“Por costume o Movimento tem essa agenda de lutas, de mobilizações, principalmente no dia 17 de abril, é uma data simbólica porque nós denunciamos e lembramos o assassinato de 19 companheiros nossos, no Estado do Pará, em 1996. Todo ano nós fazemos essas mobilizações para trazer à memória esses lutadores do povo e a impunidade, porque quem cometeu esse crime não pagou até hoje. Decidimos fazer uma ação simbólica aqui no Hospital Cruz Vermelha, de Castro, porque é um local simbólico, onde buscamos saúde e tratamento para nossas enfermidades”, destacou.

Fotos: Divulgação

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.