Feriado de Corpus Christi terá missas especiais, porém, não haverá procissão novamente neste ano

Feriado de Corpus Christi terá missas especiais, porém, não haverá procissão novamente neste ano

Luana Dias

Pelo segundo ano consecutivo, devido a pandemia do coronavírus, paróquias de Castro realizam celebrações de Corpus Christi sem as tradicionais procissões, e sem a confecção dos tapetes de rua. Todas elas, no entanto, irão realizar missas especiais, bênçãos e adorações, com limitação de público e em diferentes horários.

A matriz de Sant’Ana terá missa às oito e às 10 horas. Para participar é necessário retirar o convite na secretaria da Paróquia. A medida foi adotada para controlar a quantidade de fiéis dentro da igreja, durante a celebração.

Na Paróquia São Judas Tadeu também haverá missa em dois horários diferentes ao longo do feriado. A primeira celebração será às nove e a segunda, às 19 horas. Também haverá missa em dois horários na Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. As celebrações ocorrem às nove e às 19h30. Para participar, é necessário retirar senha na secretaria da matriz.

Na matriz Nossa Senhora do Rosário a missa será realizada às nove horas, e às 15 haverá adoração ao Santíssimo. Não é necessário a retirada de senha, mas de acordo com frei Osmar de Paulo, haverá controle de público. Conforme explicou o frei, para evitar aglomerações na Paróquia, as capelas que ficam na área urbana da cidade também irão realizar missas, às 15 horas. Depois da adoração, frei Osmar também fará benção especial para a cidade, a partir da praça que fica em frente a matriz.

Celebrações e o significado de Corpus Christi

Frei Osmar, que também é pároco da matriz Nossa Senhora do Rosário, explicou o que significa a celebração do Corpus Christi. Segundo lembrou ele, a data começou a ser celebrada já no século XIII, a partir da iniciativa do Papa Urbano IV. “Tudo começou com um sacerdote, chamado de Pedro Praga. Ele tinha muita dúvida da presença de Cristo na eucaristia, e decidiu fazer uma peregrinação aos túmulos dos apóstolos Pedro e Paulo, para pedir o dom da fé. No caminho ele parou para celebrar uma missa, e durante a missa sentiu novamente aquela dúvida, neste dia, no momento em que ele ia entregar a santa hóstia, veio uma resposta em forma de milagre para ele: a hóstia branquinha, se transformou em carne viva. A partir daquele momento é que o papa começou a instituir as procissões, e foram decretadas as celebrações em todo mundo. Ou seja, uma data na qual nós católicos somos convidados a lembrar e a celebrar o Corpo de Cristo. É um momento muito forte, uma das festas mais importantes para a igreja católica, é a celebração do mistério da eucaristia”, destacou.

Foto: Renato de Oliveira

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.