Campanha da Fraternidade 2022 traz como tema a ‘Educação’

Campanha da Fraternidade 2022 traz como tema a ‘Educação’

Luana Dias

Com a proposta de promover diálogo sobre a realidade educativa no Brasil, a Campanha da Fraternidade deste ano tem como tema “Fraternidade e Educação”, e como Lema “Fala com sabedoria, ensina com amor”, que é um trecho do Livro bíblico de Provérbios. Sobre a edição 2022 da Campanha, a reportagem conversou com a coordenadora da equipe diocesana da Campanha da Fraternidade, Márcia Simões. Ela explicou, por exemplo que a ação tem entre seus objetivos, lançar olhar para a educação como um todo, envolvendo mais que unidades educacionais, como escolas e universidade, e que a ideia é trazer os diferentes setores para discussões que possam propor caminhos de melhorias do setor.

“As famílias são convidadas a assumir sua parte nesse processo, assim como as igrejas, vamos mostrar para as comunidades católicas que muito precisa ser feito pela educação, e essa missão é de todos, não só de professores e governantes, mas de todos que lutam por uma sociedade mais justa. Precisamos compreender que a Campanha da Fraternidade envolve a sociedade como um todo e não apenas as instituições escolares, portanto, a CF 2022 deverá envolver em suas discussões: família, escolas/ universidades, sociedade e a igreja. Com isso pretende-se ampliar ou iniciar discussões em todas as dimensões humanas [cognitivas e espirituais], proporcionando um projeto de sociedade diferente do que temos, onde as famílias, as comunidades de fé [igrejas – através da catequese, por exemplo] possam juntas, construir uma sociedade mais participativa e consciente de seus direitos e deveres. É preciso levar às famílias a importância da participação na educação formal e na educação da fé de seus filhos, infelizmente nos dias de hoje percebemos uma terceirização da educação por parte das famílias, por isso é preciso promover diálogos a partir da realidade educativa do Brasil, à luz da fé cristã, propondo caminhos em favor do humanismo integral e solidário. Além disso, a Campanha irá buscar refletir sobre o papel da família, da comunidade de fé e da sociedade no processo educativo com a colaboração das instituições de ensino; incentivar propostas educativas que, enraizadas no Evangelho, promovam a dignidade humana, a experiência do transcendente, a cultura do encontro e o cuidado com a Casa Comum”, destacou.

Márcia também explicou que a Campanha da Fraternidade atua como ferramenta de transformação social, e que neste ano, em especifico, o propósito é de um trabalho que irá continuar depois da temporada, e que as atividades e ações concretas devem seguir por tempo indeterminado. “Sabemos que a educação ainda não é universal e de qualidade para todos, que as famílias estão desconectadas da escola no processo formativo e que a educação não é apenas uma tarefa formal, mas sim existencial. Com base na escuta da palavra de Deus e conhecimento da nossa realidade, somos convidados a tomar posição a partir dos valores que baseiam nossa existência. A CF 2022, através do texto base nos propõe algumas ações que iniciam nesta Campanha, mas não tem um prazo definido para serem concluídas, essa Campanha da Fraternidade propõe um trabalho contínuo pela melhoria da qualidade da educação”, ressaltou.

De acordo com a coordenadora, as propostas da CF 2022 também são compostas pelo Pacto Educativo Global, a partir do qual foi feito planejamento de ações para longo prazo. “Com criatividade e responsabilidade, vamos colocar a pessoa no centro e, com isso, humanizar as relações [familiares, sociais e de trabalho], e através da ação pedagógica: propor alterações em processos pedagógicos para serem mais humanizados, com a participação das instituições de ensino, revisitar os currículos para que sejam, de fato, humanizadores, valorizar a formação socioemocional, educando os afetos e a fé. E, através da ação pastoral: envolver famílias e comunidades de fé num saudável debate sobre a educação das crianças e jovens, não só as instituições de ensino, mas na família e na igreja, fortalecer uma pastoral de escuta das crianças e jovens dando oportunidades para que eles possam expressar suas ideias, sugestões e angustias, e incentivar espaços de partilha entre agentes e gestores escolares e famílias”, finalizou Márcia.

Sobre a CF

A Campanha da Fraternidade nasceu por iniciativa de dom Eugênio de Araújo Sales, em Nísia Floresta, Arquidiocese de Natal/RN, no ano de 1964. Desde então, é realizada todos os anos pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), no período da Quaresma, e a cada cinco anos é promovida de forma ecumênica, em conjunto com outras denominações cristãs.

Foto: laçamento da Campanha da Fraternidade 2021, Diocese de Ponta Grossa

Crédito: AssCom Diocese de Ponta Grossa

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.