Operário perde fora de casa pelo Paranaense

Operário perde fora de casa pelo Paranaense

*Matheus de Lara

Ponta Grossa – Com as restrições e os desafios para que o futebol possa continuar mesmo com o avanço acelerado da pandemia da Covid-19, o Operário Ferroviário aguarda a definição das próximas partidas, tanto no Campeonato Paranaense, como também pela segunda fase da Copa do Brasil, quando enfrentará o Coritiba e se vencer poderá embolsar mais uma quantia considerável de dinheiro.

O último confronto realizado pelo Fantasma aconteceu na quarta-feira (24), quando enfrentou o time FC Cascavel. Apesar de não ter o público há um ano, o time ponta-grossense perdeu de 1 a 0. Até o momento o Operário acumula dois jogos pelo Paranaense, um empate em um gol frente ao Azuriz, na estreia do campeonato em Fevereiro, e a derrota na quarta-quarta. Já pela Copa do Brasil, o Alvinegro se deu bem e venceu o Juventude Samas por 2 a 0, em partida realizada em 17 de março.

Contra o Cascavel

Melhor no primeiro tempo, o Alvinegro teve a primeira oportunidade aos três minutos: após triangulação, Jean Carlo finalizou e o goleiro saiu para ficar com ela. Aos 18 minutos, Fabiano cruzou na área e Rafael Chorão chutou no canto, mas o goleiro defendeu. Quatro minutos depois, foi a vez de Leandro Vilela receber na entrada da área e finalizar, obrigando Ricardo a fazer a defesa e evitar o gol do Fantasma.

No segundo tempo, o Operário voltou a criar e, aos sete minutos, Fabio Alemão tentou cruzar na área e goleiro tirou. O adversário marcou o gol da partida aos 12 minutos, com Sotto. O Alvinegro buscou o empate, mas não conseguiu balançar as redes.

A escalação inicial do Fantasma foi Simão, Fábio Alemão, Rafael Bonfim, Léo Rigo, Fabiano, Leandro Vilela, Rafael Chorão, Tomas Bastos, Jean Carlo, Rafael Oller e Ricardo Bueno. No segundo tempo, entraram Pedro Ken, Lucas Mendes, Silva, Felipe Garcia e Schumacher para saída de Rafael Chorão, Fábio Alemão, Fabiano, Rafael Oller e Tomas Bastos.

Avaliação do treinador

Em entrevista coletiva online, o técnico Matheus Costa falou sobre a partida. “Acredito que faltou poder de decisão para nós. No primeiro tempo, nós tivemos, talvez, duas grandes oportunidades e um pouquinho mais do controle, mais ímpeto no número de finalizações. Se analisarmos todo o jogo, nós finalizamos em gol o dobro do adversário, mas, infelizmente, não tivemos poder de decisão para realmente efetivar essas finalizações em gols. E o lance determinante foi em uma situação de bola parada que acabamos sofrendo o gol e daí o jogo muito truncado, mais pesado e a gente não teve capacidade para reverter essa situação. Depois que a gente sofreu o gol, ficou um jogo muito paralisado. A gente começou a ficar muito nervoso, não conseguimos controlar mais a partida como poderíamos para buscar o empate. Buscamos algumas alternativas: velocidade pelos lados, a entrada do Schumacher para ter mais um homem de referência, mas criamos muito pouco para a gente ter essa situação de busca pelo empate. Que fique o aprendizado. Acredito que, para a gente conquistar coisas grandes no estadual, temos que reverter essa situação, estar melhores, ter um poder de decisão melhor para converter esse desempenho, esses números de finalizações em gol”.

*Com Assessoria

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.