Concessão do Parque Estadual do Guartelá entra na fase de consulta pública

Concessão do Parque Estadual do Guartelá entra na fase de consulta pública

AEN

A população do Paraná pode contribuir para o projeto de Concessão de Uso do Parque Estadual do Guartelá, na região dos Campos Gerais. A Consulta Pública foi publicada nesta quarta-feira (6) pela Superintendência Geral de Parcerias (SGPAR), vinculada à Secretaria estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest).

Os interessados poderão enviar suas contribuições até o dia 25 de outubro, para o e-mail [email protected] É necessário se identificar com nome, RG, CPF ou CNPJ, endereço, e-mail e telefone. As contribuições serão disponibilizadas no site da Superintendência, cumprindo com a premissa da transparência e lisura do processo licitatório.

No final do mês passado, o processo de concessão do Parque Estadual do Guartelá foi aprovado pelo Conselho de Parcerias do Paraná. A consulta pública tem por objetivo tornar transparente o processo de concessão de uso e colher contribuições do público em geral para o aperfeiçoamento dos instrumentos convocatórios para o lançamento do edital.

Para conhecer o projeto, com informações técnicas, jurídicas e detalhes do processo de concessão, basta clicar AQUI.

Concessão de uso

O objetivo da concessão de uso é atrair investimentos para garantir mais eficiência e qualidade aos serviços de apoio à visitação para a população. O Parque Estadual do Guartelá é uma das três áreas em estudo pela SGPAR para o modelo de concessão à iniciativa privada, nos mesmos moldes do Parque Vila Velha.

A Unidade de Conservação foi criada por Decreto em 1996 como área de proteção integral, com rico patrimônio natural e arqueológico da região do cânion do Rio Iapó. Localizado no município de Tibagi, sua área total é de 798 hectares.

Além disso, o local abriga a cachoeira da Ponte de Pedra, com uma queda d’água de aproximadamente 180 metros, fontes, nascentes e espécies de fauna e flora nativas. Espécies como o lobo-guará, a jaguatirica, o veado, o gavião-pombo e a capivara podem ser observadas na área do parque.

O local permite caminhadas por trilhas, contemplação da paisagem, visita a sítios pré-históricos, além de piscinas naturais conhecidas como “panelões” ou “panelas de sumidouros”.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.