Carambeí realiza ‘Semana de Combate à Violência Doméstica e Familiar’

Carambeí realiza ‘Semana de Combate à Violência Doméstica e Familiar’

*Emerson Teixeira

Carambeí – O município instituiu por meio da lei 1377/2021, de autoria do vereador Eclaiton Bueno (DEM), a Semana de Combate à Violência Doméstica e Familiar, com uma programação especial que está sendo realizada na Praça Cívica, pela Prefeitura de Carambeí, através da secretaria municipal de Assistência Social.

Nesta quinta-feira (25) haverá atendimento ao público com tendas temáticas da Rede de Proteção às Mulheres, Justiça e Direitos da Mulher, das 9 às 16 horas. A abertura solene está prevista para as 10 horas, com a presença de da prefeita Elisangela Pedroso e do juiz criminal da Comarca de Castro e apresentação do coral infanto-juvenil da ‘Escolar’. Haverá atendimentos e orientações do Centro judiciário de Solução e Conflitos e Cidadania de Ponta Grossa – CEJUSC, Núcleo Maria da Penha – NUMAPE, orientações da Polícia Civil e Polícia Militar. Às 14 horas será realizada palestra para o público em geral pelo Núcleo Maria da Penha.

Já está sendo realizada panfletagem na Praça Cívica pelas equipes de profissionais do Centro de Referência da Assistência Social – CRAS e Centro Especializado da Assistência Social – CREAS. Uma equipe do Cescage está realizando testes de glicemia e hipertensão arterial. Em paralelo está sendo desenvolvida a programação da caravana da Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (Adra Brasil).

A prefeita de Carambeí, Elisangela Pedroso, esteve no local acompanhando as atividades da ADRA e a movimentação da população para este evento, onde enfatizou a importância do trabalho social da Igreja Adventista e da ADRA junto à comunidade, e convidou para que retornem outras vezes para o município.

A secretária municipal de Assistência Social, Johanna Nogueira de Macedo, lembra que “a violência contra a mulher é uma violação de direitos, que se refere a qualquer ato de discriminação e agressão motivada pelo fato da vítima ser mulher. Essa violência traz consequências físicas, psicológicas, morais, sexuais, políticas, econômicas e patrimoniais, e deve ser discutida e combatida”. Dia 25 de novembro é comemorado o Dia Internacional de Combate à Violência contra a Mulher.

Johanna, destaca também que para interromper o ciclo de violência contra a mulher é preciso denunciar os casos para as autoridades competentes, Polícia Militar, Polícia Civil, Ministério Público, CRAS, CREAS e também na Central de Atendimento à Mulher no disque 180.

*Com Assessorias

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.