Associação faz ação para ajudar hospital de Tibagi

Associação faz ação para ajudar hospital de Tibagi

Luana Dias

A cidade de Tibagi, assim como a grande maioria na região, sofre com a demanda nas unidades hospitalares que atendem pacientes de Covid-19, onde a realidade é a falta de leitos clínicos e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), assim como falta de equipamentos e de medicamentos. No Hospital Luiza Borba Carneiro, por exemplo, dos quatro leitos de emergência disponíveis, apenas dois estão em funcionamento desde a sexta-feira (19). Os respiradores de dois desses leitos quebraram e deixaram de funcionar, o que deixou a situação no município ainda mais grave.

Em um relato ao qual a reportagem teve acesso, o médico Paulo Duque, que é plantonista na unidade, dá mais detalhes sobre a falta de equipamentos. “Temos lugar para quatro respiradores, porém, dois deram problema e quebraram, estamos hoje com dois paciente entubados na nossa UTI, são pacientes graves. Ontem morreu uma senhora por falta de respirador, e quando sai vaga em algum hospital não conseguimos transportar o paciente com segurança, porque também não temos um respirador móvel para fazer a transferência, além disso, precisamos com urgência de um aparelho de gasometria, para monitorar o estado do paciente, sem ele fica difícil da gente fazer o manejo desse paciente depois de entubado, nós solicitamos com urgência para o estado e para o município e não tivemos resposta. Como não conseguimos transferir os pacientes, precisamos pensar em tratá-los aqui mesmo”, destacou o médico.

Esse mesmo relato do médico Paulo acabou sendo compartilhado por telefone e foi ouvido por diversos moradores de Tibagi, que se compadeceram da situação. Por meio de um técnico de enfermagem que trabalha no Hospital Luiza Borba, a situação, da falta de equipamentos que ocorre na unidade acabou sendo apresentada à Associação ‘Semeando Sonhos’, (formada por agricultores, empresas e pessoas físicas de Tibagi), cujos voluntários deram início a uma ação para arrecadar dinheiro e adquirir os principais equipamentos em falta.

O resultado da ação, que só entre o sábado (20) e o final da tarde de segunda-feira (22) já havia arrecadado 120 mil reais, surpreendeu o diretor geral do hospital, Paolo Pavesi. Em entrevista ao Página Um News, ele descreveu a ação e fez questão de ressaltar o quão positivo será o resultado. Segundo o diretor, a compra dos equipamentos farão muita diferença na realidade do Hospital no momento pelo qual a unidade passa. “Nós solicitamos novos respiradores à Klabin e ao Ministério da Saúde, mas sabemos que esse processo é moroso, foi então que um técnico de enfermagem da equipe mobilizou os voluntários do Semeando Sonhos, de lá para cá eles montaram um grupo e de sábado até hoje já tinham arrecadado todo esse valor. Como diretor do hospital eu só tenho a agradecer a cada um deles e pedir a Deus que abençoe suas famílias, esses equipamentos serão muito bem-vindos para nosso hospital”, destacou.

Paolo explicou que os próprio voluntários irão adquirir os equipamentos (respirador portátil, bombas de infusão, equipamento de gasometria), conforme as especificações e orientações passadas pelos profissionais do hospital.

O presidente da Associação Semeando Sonhos, Leonel Ribeiro dos Santos, também falou sobre a ação, e destacou a importância de todos fazerem a sua parte, para que logo o fim da pandemia possa ser uma realidade. “Hoje sabemos que os números, as estatísticas, viraram pessoas conhecidas, e isso tem comovido muitas pessoas. Todos nós temos responsabilidades. Nesse momento não adianta tentar achar um culpado, nem causar polêmica. Temos que unir forças pra ajudar a combater esse vírus que já levou muitas vidas”, destacou.

Ele explicou que serão necessários R$ 190 mil para a aquisição dos equipamentos, e que o grupo está confiante na arrecadação do valor que ainda falta. “Antecipadamente agradecemos a colaboração de toda população que abraçou a causa e rapidamente levantou um valor muito significativo. Reforçamos o pedido a cada um que ainda pode nos apoiar com a doação de qualquer valor. Toda doação fará diferença”, destacou, em nome da Associação.

Sobre os atendimentos na unidade

Paolo Pavesi explicou que o Luiza Borba Carneiro não é um hospital de referência para atendimentos à pacientes com Covid-19 desde o início da pandemia, porém, começou a apoiar na demanda quando a equipe técnica da unidade percebeu que os hospitais de referência da cidade não dariam conta de atender a todos os doentes. Segundo o diretor, a sala de emergência com quatro respiradores (citada no início da matéria), foi montada justamente em preparação da unidade para receber pacientes com Covid, e desde que a demanda no município aumentou significativamente, as quatro vagas estavam sendo ocupadas.

Mesmo não sendo uma unidade de referência no atendimento da doença, o Hospital vem atendendo cerca de 30 pacientes com síndromes respiratórias por dia, e, só na sexta-feira (19) foram 48 atendimentos, e mais 39 exames para Covid-19 realizados na unidade. Para se ter ideia do quanto o número de casos aumentou na cidade, o diretor do Hospital, Paolo Pavesi, explica que dois dias antes de os aparelhos respiradores deixarem de funcionar, foram realizados 47 exames de Covid na unidade, e em 40 deles o resultado foi positivo. “Antes nós fazíamos o teste, se dava positivo transferíamos o paciente para uma unidade de referência, agora não tem vaga, ainda tentamos transferir, mas em geral mantemos ele aqui para o tratamento”, finalizou.

Foto: Divulgação

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.