Mães recebem mimos no Hospital Universitário Materno-Infantil

Mães recebem mimos no Hospital Universitário Materno-Infantil

Da Assessoria

Um presentão de Dia das Mães”. A opinião é unanimidade entre as gestantes, puérperas e mães de crianças internadas no Hospital Materno-Infantil, da Universidade Estadual de Ponta Grossa: os filhos são os maiores presentes que elas poderiam receber na data. Mas o carinho dos mimos recebidos da equipe do Humai-UEPG também fez toda a diferença para alegrar o dia dessas mamães.

Uma comitiva de mulheres, muitas também mães, levava consigo doses de carinho para entregar para cada uma das pacientes e acompanhantes em todos os setores do hospital. Na Maternidade, Clínica Pediátrica, UTI Neonatal e Pediátrica, Ambulatório e Pronto Atendimento Infantil, cada quarto foi visitado e cada mãe, presenteada.

O Serviço de Nutrição do Hospital Universitário providenciou cupcakes decorados com chantilly e confetes; uma doação da Associação Amigos do Hospital da Criança viabilizou centenas de sachês de escalda-pés; e kits de roupinhas de crianças foram doados pela Copel. “São vários parceiros que se juntaram para proporcionar esse carinho para as mães”, conta Maria Cristina Roque Ferreira, diretora do Humai.

E olha a coincidência: num quarto da Maternidade, a avó Joana comemora, feliz, a chegada de dois netinhos ao mundo, na mesma data. São um menino e uma menina. Se avó é mãe com açúcar, para ela, o Dia das Mães ganha um sabor ainda mais doce.

Oficina

Ainda na quinta-feira (06), um momento diferente acontecia na Brinquedoteca do Humai. Uma oficina com as mães dos bebês internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) trouxe a terapia ocupacional para conversar sobre os sentimentos e a vida de forma leve e consciente.

“Estamos fazendo uma reflexão sobre a questão da maternidade e da maternagem, sobre o vínculo da mãe com o bebê, como está sendo para elas esse processo de viver o que elas estão vivendo na UTI, trabalhando essa conscientização de vínculo, de afeto, de cuidado”, conta Caroline Mori, terapeuta ocupacional. Ela explica que é um momento para expor os sentimentos e compartilhar experiências, em um espaço acolhedor onde elas podem desabafar, elaborar os sentimentos e ressignificar a vida. 

Emocionada, a mãe da Victoria não quis registrar o nome na reportagem, mas compartilhou que está sendo difícil ser mãe sem a presença da própria mãe. A homenagem em forma de tatuagem no pulso direito eterniza o carinho e as saudades.

Fotos

Um momento tão difícil, registrado com leveza. As mães dos bebês internados na UTI Neonatal e Pediátrica também ganharam uma lembrança a mais neste domingo: fotos profissionais de seus filhos, vestidos com toda a pompa que a data pede, com tutus cor-de-rosa, flores no cabelo, gravatas-borboleta e capas azuis. As fotos foram doadas pela fotógrafa Paula Kostiuk.

Texto: Aline Jasper | Apuração: Aline Jasper e Luciane Navarro | Foto: Aline Jasper

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.