Preço do leite teve nova alta nos supermercados

Preço do leite teve nova alta nos supermercados

Matheus de Lara

O consumidor ainda vem pensando em uma maneira de fazer o salário render quando vai as compras. Exemplo disso, é o litro do leite que teve nova alta no preço, nos últimos dias. A reportagem do Página Um News, constatou que em alguns supermercados de Castro, o leite de caixinha pode chegar a mais de R$ 7, enquanto o de pacote a mais de R$ 5.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o preço do leite subiu 19,5%. Já o último levantamento realizado pelo índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o leite longa vida acumulou 28,03% até o momento em 2022. Além disso, consequentemente os produtos derivados acabaram sendo impactados, a exemplo do iogurte que subiu 11,08% e o queijo em 21,35%.

A reportagem conversou com a economista Sara Pavarini, para entender o porque de estar tão alto o preço do leite. Segundo ela, o leite já subiu nos últimos 12 meses, cerca de 29,28%. “Um dos motivos é que estamos em período de entressafra, do leite com a produção limitada. Com o inverno o clima é mais seco, a qualidade do pasto fica inferior, e ao mesmo tempo a gente tem o aumento do preço dos grãos que compõem a ração das vacas, e tudo isso prejudica a produção do leite”, enfatiza.

A economista acrescenta que, também tem os custos de produção, fazendo que o produto fique mais caro. “Paralelamente, temos o aumento do preço da carne no mercado externo, a guerra na Ucrânia, a China com a retomada do consumo, tudo isso fazendo com que a carne fique mais cara no mercado internacional sendo atraente para o pecuarista. Com isso ele acaba migrando da produção leiteira para a da carne, o que impacta a oferta de leite no mercado”, descreve Sara.

A economista explica que a normalização do preço do leite é incerta, como também é difícil dizer se o valor do leite cairá neste ano e voltar ao patamar que era de R$ 3.

Produção

Para entender como realmente está a produção, a reportagem também conversou com o diretor vice-presidente da Cooperativa Castrolanda e produtor de leite, Armando de Paula Carvalho Filho. Para ele o que vem ocasionando o aumento do preço do leite é a oferta e procura. “Hoje a oferta de matéria prima no campo é muita restrita. A produção em nível Brasil encolheu bastante, cerca de 10% em relação ao mesmo período do ano passado. O que vem ocasionando essa escassez de matéria prima, primeiramente é o preço dos insumos para a produção de leite, fertilizantes, preço de soja e de milho que compõem a ração dos animais, e com isso o custo do produtor subiu muito […]”, detalha Armando.

Para o produtor, com o aumento do leite se consegue manter na atividade e continuar investindo. “Antes a pressão dos custos era muito grande, assim como o combustível que também está bastante caro, entre outros produtos. Na minha opinião o leite a R$ 3,20 para o produtor e R$ 5,50 na prateleira seria um preço justo para todos. Com isso, o produtor se manteria na atividade, a indústria conseguiria trabalhar e o varejo também ganhava dinheiro”, finaliza Armando.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.