Cultivo em estufa é alternativa de renda para o pequeno produtor

Cultivo em estufa é alternativa de renda para o pequeno produtor

Da Assessoria

O Programa Irrigação e Cultivo Protegido da Prefeitura de Castro, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Agricultura, atende pequenos agricultores familiares que entregam alimentos nos programas Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).  

No ano passado foram entregues com recursos próprios três estufas para produtores da Ponte de Zinco, Passo dos Bois e Capão Alto.

Desde o início do programa em 2017 já foram entregues 21 estufas em várias localidades.

Para participar do programa o produtor deve ser agricultor familiar; ter vínculo com alguma Associação de Pequeno Produtor de Castro; participar efetivamente de programas governamentais de entrega de alimentos (PAA) e (PNAE) entregando os produtos alimentícios há pelo menos um ano; ter declaração de aptidão ao Pronaf (DAP) e documentos da terra.  

A seleção segue os critérios apresentados, além de análise de aptidão dos inscritos por meio de visitas as respectivas propriedades.

A Secretaria Municipal de Agricultura compra as estufas e a empresa vencedora da licitação fica encarregada da montagem. Os produtores recebem assistência técnica e orientação por meio de cursos ministrados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) sobre cultivo protegido visando melhorar o conhecimento dos produtores a fim de otimizar o uso das estufas.  Eles também são estimulados constantemente das boas práticas agronômicas como a rotação de culturas para evitar o surgimento de insetos praga e doenças de plantas. 

Entre os produtos produzidos estão tomate, morango, hortaliças em geral como alface, couve flor, brócolis, repolho.

Além de venderem os produtos para a merenda escolar, os produtores podem comercializar em mercados, supermercados e venda direta ao consumidor, entre outros.

Desafio

Catarina da Silva, agricultora da região da Ponte de Zinco, trabalha há 15 anos com produção para a merenda escolar, mas estava pensando em parar, pois não tinha dinheiro para trocar o plástico da estufa. No ano passado foi contemplada com uma estufa, aceitou o desafio de produzir mais e conta que não se arrepende. “É bom de trabalhar na estufa, tudo vai bem, são produtos de qualidade. Estou animada e o próximo cultivo vai ser de tomate”, disse.

O secretário municipal de Agricultura, Carlos Alberto de Oliveira, destaca que o programa promove a agricultura sustentável, além de gerar renda ao pequeno produtor. “O cultivo em estufa é uma opção para os produtores que podem otimizar o espaço da propriedade e produzir de forma segura, com resultados satisfatórios”, conta.

Redação Página 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: O conteúdo é de exclusividade do Página 1 News.